Gerente estratégico temporário: conheça esta atividade profissional

O trabalho é simples: passar algum tempo na companhia para apontar o que pode ser mudado na gestão

SÃO PAULO – Empresas brasileiras contam com um novo tipo de serviço para aprimoramento da administração: o gerente estratégico temporário. E quem ganha são os profissionais, com mais um tipo de atividade à disposição. O trabalho é simples: depois de feito o diagnóstico, passar algum tempo na companhia para apontar o que pode ser mudado na gestão.

Para isso, porém, é preciso capacitação. “Ele tem que ter curso superior em administração, contabilidade, economia, engenharia e recursos humanos, de preferência. Quanto mais cursos, em pós-graduação, mestrado ou doutorado, melhor. Tem que ter ainda experiência de mercado comprovada”, disse o sócio-diretor da Sundfeld e Associados, João Baptista Sundfeld.

São contratadas pessoas com experiência em relacionamento interpessoal e os profissionais são associados e não empregados.

O trabalho

PUBLICIDADE

“É comum as equipes, especialmente em empresas de médio porte e familiares, não serem compostas por profissionais com formação técnica para exercer determinadas atividades. É aí que entra o gerente estratégico temporário”, disse Sundfeld. Num primeiro momento, antes da contratação do serviço, é feita uma análise minuciosa das necessidades dos clientes.

Depois, são feitos um prognóstico, “em comum acordo com o cliente”, segundo disse o sócio-diretor, e um plano de ação. O novo gerente é disponibilizado para exercer as funções por tempo determinado. “Mas também pode fazer acompanhamento uma vez por semana, por exemplo, se o cliente quiser”.

O profissional ainda pode atuar como coaching. “Freqüentemente, o principal executivo da empresa enfrenta momentos de solidão e dúvida diante de problemas não rotineiros”, disse.

A chegada

Existem membros da equipe que são mais resistentes ao processo de mudança ou que sentem ciúmes com a chegada de um novo membro. No caso do gerente temporário, por sua vez, Sundfeld disse que nunca houve nenhum problema de relacionamentos entre o profissional e os funcionários das empresas clientes.

“Quem contrata faz preparação conversando com o pessoal, não pretendendo criar embaraços. O gerente faz parte da solução e não dos problemas, então é bem-vindo”.

Sobre o valor dos serviços, são determinados por pacotes fechados de acordo com as horas disponibilizadas ao trabalho. A empresa que o quiser em full time provavelmente terá de desembolsar mais!