Funcionários desperdiçam cerca de duas horas/dia no trabalho, constata pesquisa

Tempo perdido custa US$ 759 bilhões/ano para empresas e é duas vezes maior do que imaginavam empregadores

SÃO PAULO – Nos últimos tempos a empresa em que você trabalha vem adotando medidas mais rígidas com relação ao uso da internet, do seu e-mail, e até mesmo do telefone? Você e os demais profissionais reclamam por se sentirem controlados e tolhidos em sua privacidade?

Engana-se quem acredita que a preocupação dos empresários seja apenas no controle dos gastos. Na verdade o que eles temem é uma queda excessiva da eficiência! E essa preocupação parece justificada se tomarmos como base estudo recente elaborado pelo site norte-americano, Salary.com, envolvendo mais de 10 mil funcionários.

Dobro do tempo

Diante da realidade do mundo atual, em que se passa a maior parte do tempo no trabalho, dedicar parte do dia a atividades pessoais não é algo que chega a surpreender nem mesmo os empregadores, que estimavam que seus funcionários gastassem 0,94 hora/dia em atividades não correlacionadas ao trabalho.

PUBLICIDADE

Por sua vez, os gerentes de Recursos Humanos, talvez por estarem mais próximos aos funcionários, eram mais pessimistas, e estimavam que em média fosse gasta 1,61 hora/dia. O problema é que o tempo desperdiçado é o dobro do que imaginavam os empregadores. Segundo o levantamento, em uma jornada de trabalho de oito horas, os funcionários estariam gastando em média 2,09 horas/dia com atividades pessoais, excluindo o intervalo de almoço.

Internet é maior vilã!

O uso ineficiente do tempo por parte desses funcionários durante sua jornada de trabalho custa aos cofres das empresas norte-americanas o equivalente a US$ 759 bilhões por ano. Não é à toa, portanto, que um número crescente de companhias vem adotando medidas no sentido de diminuir essa ociosidade.

Como era de se esperar, o maior vilão é, sem dúvida, a internet, que foi a atividade indicada por 44,7% dos entrevistados. O uso pessoal da web custaria, portanto, algo como US$ 330 bilhões por ano das empresas.

Outros fatores também contribuem para o desperdício de tempo durante a jornada de trabalho. A segunda atividade mais citada como sendo a que consome mais tempo do dia do funcionário, e que não é relacionada com trabalho, é a socialização com outros colegas de trabalho, que foi citada por 23,4% dos entrevistados. Em seguida vieram: condução de negócios pessoais (6,8%), a procura por outro emprego (1,3%) e o planejamento de atividades pessoais (1%).

Idade faz diferença!

Quando perguntados sobre o porquê de desperdiçarem tempo durante a jornada de trabalho, 33,2% deles, a maioria, afirmaram que estavam ociosos.

Pouco menos de um quarto dos entrevistados (23,4%) alegou que ganhava pouco para as funções, 14,7% alegaram que são distraídos por outros colegas de trabalho, e 12% afirmaram que não têm tempo para resolver questões pessoais.

Um dado interessante do levantamento é que a idade parece influenciar o montante de tempo desperdiçado. Segundo a pesquisa, os funcionários nascidos entre 1930 e 1949 perdem apenas meia hora por dia de trabalho; enquanto aqueles nascidos entre 1960 e 1969 gastam 1,19 hora/dia; de 1970 a 1979 gastam 1,61 hora/dia; e os nascidos entre 1980 e 1985 gastam 1,95 hora/dia.

Como a web é considerada a maior vilã em termos de desperdício de tempo, nada mais natural que os funcionários mais velhos, e, portanto, menos habituados ao seu uso, sejam aqueles que menos tempo perdem durante o dia com atividades pessoais.