Falta de tempo: mulheres estão adoecendo e homens sentem ansiedade e angústia

As pessoas, de maneira geral, culpam as muitas horas dedicadas ao trabalho, mas, na realidade, o problema são os vilões do tempo

SÃO PAULO – O presidente da Tríade do Tempo, empresa especializada em gestão de tempo e produtividade, Christian Barbosa, fez uma pesquisa e descobriu que os homens dedicam apenas 30% do tempo com tarefas de fato importantes, como uma reunião agendada, a elaboração de um relatório, ou uma consulta médica. Entre as mulheres, esse percentual é parecido, de 31%.

Além disso, eles gastam 36% do tempo com urgências, e elas 42%. Já às atividades circunstanciais, que causam sensação de improdutividade, ansiedade e angústia, bem como ocasionam a falta de tempo, os homens reservam 34% do tempo e as mulheres 27%. As pessoas, de maneira geral, culpam as muitas horas dedicadas ao trabalho, mas, na realidade, o problema são os vilões do tempo, de acordo com o estudo.

Os culpados

Os vilões do tempo nada mais são do que fatores decorrentes da falta de planejamento para cumprir suas atividades, bem como da dispersão do profissional. Por exemplo, o mau uso do e-mail e da Internet, as reuniões longas e improdutivas e as conversas paralelas durante o expediente.

PUBLICIDADE

A pesquisa concluiu que a necessidade da mulher de ter sucesso no mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que teve que dar continuidade às demais atividades em casa, fez com que ela vivesse vários papéis simultâneos. Porém, por mais que se tente, é impossível ser uma “super-mulher”, e elas estão adoecendo e vivendo de maneira infeliz, por conta da falta de tempo.

Virando o jogo

Para Christian Barbosa, é possível mudar essa história, desde que o dia-a-dia seja impermeado por organização, disciplina e vontade de mudar. Primeiro, o profissional precisa escolher qual dessas ferramentas funciona melhor para ele: agenda, palm-top ou celular. Depois, deve cumprir as atividades agendadas, sem fugir dos compromissos ou adiá-los.

É vital não usar a Internet de forma leviana e enviar e-mails desnecessários, principalmente para colegas que sentam perto, com os quais dá para se comunicar verbalmente. Ser rápido e objetivo em reuniões e apresentações também é importante. Por fim, o presidente da Tríade do Tempo recomenda mudar a forma de convocar uma reunião e aplicar a técnica de ter um controlador de tempo entre os membros da equipe.

Entretanto, ele lembra que essas são apenas algumas medidas, entre tantas possíveis, mas elas não irão funcionar se o profissional não estiver realmente com vontade de mudar o ponto de vista, os hábitos de vida e a rotina no trabalho. Isso porque gerir o tempo depende de disposição para tal. Você está disposto a fazer essa mudança?