Falar bem só depende de você! Aprenda a passar credibilidade

Para gerar credibilidade, não é suficiente estruturar o discurso ou dominar o assunto, avisa consultora

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Quem acha que convencer os outros por meio de palavras e falar com segurança é tarefa impossível está enganado. Se expressar bem depende do esforço de cada um. Na realidade, estamos falando de um exercício de profunda análise de seus próprios trejeitos e das atitudes do receptor.

Para gerar credibilidade, não é suficiente estruturar o discurso ou dominar o assunto. De acordo com Sttella Gulo Baster, consultora e sócia-diretora da Talk Stick, que ministra cursos de expressão verbal, tudo está intimamente ligado: o ritmo e o tom de suas falas, os gestos, a posição em que projeta a coluna e a forma como algumas palavras são acentuadas.

Dicas

Em primeiro lugar, não fale em um único ritmo. Isso causa desinteresse. Além disso, não fale rápido demais. As pessoas que fazem isso esquecem de pronunciar a última sílaba das palavras. A segunda recomendação é: seja coerente. Isto é, esteja 100% comprometido com o que está sendo dito.

PUBLICIDADE

A “tonificação” correta das palavras é igualmente importante. Por meio dela, segundo Sttella, é possível minimizar informações aparentemente negativas, ou acentuar outras, com o discurso estratégico. Dependendo da situação, falar em um tom alto e agudo, por exemplo, pode denotar irritação ou extrema alegria.

Outra dica é utilizar pausas de forma sábia. Elas permitem a ênfase a algumas informações. Entretanto, saiba que todo cuidado é pouco: pausas mal colocadas transmitem insegurança. Ao falar, esteja atento às mensagens passadas pelo ouvinte. A forma de olhar e se sentar pode ser um aviso de que a conversa está chata.

Gestos

Sua postura e atitudes também dizem muito, mas não existem regras rígidas. Cruzar os braços é sinal de desinteresse? Nem sempre. Se a pessoa cruza os braços, mas olha para o próximo com animação, é possível que haja, na realidade, interesse de sobra.

Tome cuidado com a maneira como olha para o relógio, especialmente ao dar palestras, fazer apresentações ou participar de reuniões. Falando em reuniões, não force uma postura elegante, como a maioria das pessoas costuma fazer. Projetar levemente a coluna para a frente dá a entender que está interessado na conversa. E cuidado, também, para não ficar encostado na cadeira, que significa que você está à vontade em demasia.

Ainda durante reuniões, evite ficar com as mãos cruzadas sobre a mesa. Sobretudo na hora de negociar. As mãos cruzadas são um ícone religioso. Significa que você está rezando, isto é, implorando pela negociação de sucesso. Se fizer isso durante uma entrevista de emprego, dará a impressão de que está desesperado.