Expurgos: saldos até R$ 2mil serão liberados nesta terça

Trabalhadores com saldos entre R$ 1mil e R$ 2mil receberão os créditos em duas parcelas; uma delas nesta terça (23/07) e a outra em janeiro de 2003

SÃO PAULO – Depois do pagamento dos créditos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) terem sido liberados para os trabalhadores com saldos em conta de até R$ 1 mil, a Caixa Econômica começa a liberar a partir desta terça-feira (23/07) o pagamento dos saldos entre R$ 1mil e R$ 2mil.

Cronograma de pagamento foi suspenso

Como esta parcela de trabalhadores representa apenas 5% do montante total do acordo firmado entre o governo e as centrais sindicais, então não será necessária a fixação de um cronograma de pagamento. O mesmo não aconteceu com os trabalhadores com saldos até R$ 1 mil, que representavam uma grande parcela do total a ser pago pela Caixa, de forma que foi necessário estabelecer um calendário de forma a evitar um fluxo excessivo de pessoas nas agências, casas lotéricas e postos autorizados.

A segunda etapa de pagamento deverá ser mais tranqüila, sobretudo por que os créditos entre R$ 1mil e R$ 2mil, serão pagos em duas parcelas semestrais. A primeira parcela de R$ 1 mil será paga a partir desta terça-feira e o saldo restante no próximo semestre, mais precisamente em janeiro de 2003. Como exemplo podemos citar um trabalhador com saldo a receber de R$ 1,5 mil. Neste caso ele receberá a primeira parcela (R$ 1 mil) no dia 23 de julho e a segunda parcela (R$ 500) somente em janeiro de 2003, ainda sem data definida.

Extratos devem ser analisados individualmente

Vale lembrar que o trabalhador que tiver recebido mais de um extrato em sua residência deverá levar em consideração cada saldo individualmente. Isto significa que se em um extrato ele tiver R$ 600 a receber, então deverá respeitar o calendário de pagamento desta faixa, sendo que neste caso o dinheiro está sendo liberado em uma única parcela.

Entretanto, quem recebeu um outro extrato de R$ 1,8 mil, por exemplo, então terá direito ao pagamento deste montante em duas parcelas, sendo a primeira nesta terça-feira, como discutido acima.

PUBLICIDADE

Para saldos de valores maiores, a partir de R$ 2 mil, além do trabalhador receber o dinheiro em várias parcelas, ainda sofrerá um desconto entre 8% e 15% sobre o valor total a receber, como ilustrado abaixo:

  • De R$ 2.001 até R$ 5.000 em 5 parcelas semestrais a primeira em janeiro de 2003 -Desconto de 8%;
  • De R$ 5.001 até R$ 8.000 em 7 parcelas a primeira em julho de 2003- Desconto de 12%;
  • Acima de R$ 8.001 mil em sete parcelas a primeira em janeiro de 2004 – Desconto de 15%.

Nestes casos o trabalhador pode acabar ganhado mais se entrar na Justiça. Isto porque o prazo para pagamento das parcelas, de acordo com o Termo de Adesão é bastante longo, isto sem falar no desconto. Já na Justiça, apesar da sentença não ser imediata, caso você ganhe o processo na justiça, o dinheiro será depositado à vista e sem descontos na sua conta, o que não ocorre no acordo. Além disso, entrando com um processo judicial há uma grande chance de você conseguir uma correção mais rentável do que a proposta pelo Governo, sendo que também é possível requerer diferenças de outros planos econômicos, como Bresser, Collor 2 e Real.