AO VIVO Rodrigo Furtado, da XP Asset, fala sobre uma oportunidade no mercado de ações

Rodrigo Furtado, da XP Asset, fala sobre uma oportunidade no mercado de ações

Executivos apontam novas funções para profissional de RH

Segundo pesquisa, muito mais do que um centro de custos, área deverá se tornar mais estratégica e geradora de valores

SÃO PAULO – Segundo pesquisa realizada pela consultoria Delloite, 88% dos entrevistados afirmaram que assuntos relacionados a pessoas se tornarão mais importantes dentro das empresas no futuro. Com isso, o profissional de Recursos Humanos terá um novo papel.

O estudo ouviu 531 executivos e 95% esperam que, diante desta nova realidade, o profissional de RH se torne mais estratégico e gerador de valor, não apenas um centro de custos.

Hoje, 60% dos executivos entrevistados já consideram assuntos relacionados às pessoas de extrema importância, número que sobe para 90% na análise dos próximos três a cinco anos.

Comunicação

PUBLICIDADE

Outro dado interessante apontado pelo estudo diz que é necessário uma melhoria na comunicação ente líderes de RH e os da corporação.

Para se ter uma noção, 60% dos executivos de alta administração afirmam nunca consultar a área para tomada de decisões nas operações de fusões ou aquisições, o que mostra uma lacuna de troca de informações. Outros 40% não consultam o RH, quando o assunto é outsourcing.

Mesmo sem consultar a área, na opinião dos executivos, ela é vital para determinar desempenho, aumentar competitividade, desenvolver novos produtos e serviços e capitalizar sobre avanços tecnológicos, o que tem grande impacto no crescimento, competitividade e lucratividade da empresa.

Recursos Humanos

A principal finalidade da área de RH é servir como elo e fonte de equilíbrio entre trabalhadores e direção. Porém, isto em nenhum momento significa proteger um dos lados, mas, sim, conciliar interesses, direitos e obrigações.

É preciso ter consciência de que a primeira medida deste profissional, ao chegar na empresa, será diagnosticá-la por completo. Para isso, ouvirá muito, tanto os funcionários quanto a direção. Horas de reunião serão dedicadas à composição de uma política.

Antes da elaboração de qualquer proposta, serão apontados os pontos fracos da empresa. A partir daí, serão discutidos os próximos passos.