Engajamento: 21% dos profissionais em todo o mundo “vestem a camisa”

Segundo pesquisa, 38% dos funcionários se sentem desengajados. Até que ponto pode se engajar na empresa?

SÃO PAULO – Funcionários de empresas de todo o mundo não acreditam que as organizações e seus líderes diretos estão fazendo o suficiente para ajudá-los a se engajarem e contribuírem para o sucesso. Com isso, apenas 21% deles estão realmente “vestindo a camisa”.

Isso é o que mostra pesquisa realizada com 90 mil profissionais em 18 países pela consultoria em recursos humanos Towers Perrin, a qual ainda revelou que 38% dos funcionários se sentem desengajados.

Resultados

De acordo com a diretora da Towers Perrin, Julie Gebauer, o engajamento de um funcionário é extremamente importante para a empresa.

PUBLICIDADE

Os dados mostram que as empresas com maior grau de profissionais comprometidos têm aumento em ganhos de 28% por ano. Em contrapartida, em companhias com menor grau de comprometimento, os ganhos diminuem em 11%.

A pesquisa mostra que a maioria dos funcionários quer saber qual a relação entre o que fazem e quais os resultados que a empresa quer alcançar. Mais de 80% dos profissionais engajados acreditam que contribuem para a qualidade dos produtos e serviços e para a satisfação dos clientes. Apenas metade dos desengajados divide esta visão.

“Vestir a camisa”

Com as empresas em busca de pessoas comprometidas, o termo nunca foi tão atual. Por parte do funcionário, no entanto, nem sempre é simples adotar esta postura.

“Vestir a camisa” não significa dar todo o seu potencial e não receber nada em troca. Vale lembrar que a relação funcionário-empresa deve ser satisfatória para os dois lados. Afinal, você foi admitido, recebe um salário e deve cumprir com algumas obrigações.

Por outro lado, deve analisar até que ponto a empresa atende aos seus objetivos e às suas necessidades: é para ela que trabalha, que dedica grande parte do seu tempo e da sua energia. Nesta relação de troca, estar satisfeito é ponto principal para vestir a camisa.