Em carreira / emprego

As melhores cidades para trabalhar nos EUA se você não tem diploma

Um estudo classificou 121 áreas metropolitanas dos EUA por proporção de "oportunidade de emprego"; para trabalhadores com pouca ou nenhuma formação, o Centro-Oeste oferece as melhores opções

toledo cidade estados unidos
(Shutterstock)

(Bloomberg) -- Com o desemprego nos Estados Unidos perto do nível mais baixo em meio século, empresas enfrentam barreiras para aumentar a força de trabalho e, com isso, têm aceitado profissionais com menor qualificação.

Assim, desempregados sem diploma universitário têm melhores opções do que em anos anteriores, mas podem ter que migrar para regiões mais receptivas diante da polarizada economia dos EUA. 

Oportunidades para trabalhadores com pouca ou nenhuma formação além do ensino médio variam em todo o país, com o Centro-Oeste oferecendo as melhores opções e a cidade de Nova York aparecendo entre as piores do ranking.

Toledo, no estado de Ohio; St. Louis, em Missouri, e Lansing, em Michigan são algumas das áreas metropolitanas com o maior número de empregos que pagam salários acima da média nacional e não exigem diploma universitário, segundo um novo estudo realizado por pesquisadores dos bancos centrais de Cleveland e Filadélfia.

O estudo classificou 121 áreas metropolitanas dos EUA por proporção de "oportunidade de emprego", definida como emprego acessível a trabalhadores sem diploma universitário e, geralmente, pagando acima do salário médio nacional, corrigido pela inflação regional.

Cerca de 70% das 20 áreas metropolitanas com melhor classificação nos EUA estão no Centro-Oeste, sugerindo "a prevalência de cidades menores e mais baratas no que se refere ao nível de oportunidade", disse Kyle Fee, coautor do estudo, do Federal Reserve de Cleveland.

"É algo que muitas pessoas não imaginam quando pensam no Centro-Oeste, mas isso aparece em nossos dados." As 10 principais áreas metropolitanas geralmente têm custo de vida mais baixo.

As áreas metropolitanas costeiras têm pior classificação. A capital Washington, Nova York e Los Angeles ocupam os três últimos lugares, com taxas de oportunidade de emprego de 14,6%, 15,3% e 15,4%, respectivamente. Enquanto isso, em Toledo, que tem a melhor classificação, o índice de oportunidade de emprego está em 34%.

As 10 áreas no piso do ranking mostram uma combinação mais diversificada, com economias de mais peso como Washington e San José, e áreas metropolitanas menores como Myrtle Beach, uma cidade onde predominam empregos com baixos salários no varejo e hotelaria, diz Keith Wardrip, coautor da pesquisa, do Federal Reserve de Filadélfia.

Isso apesar de Myrtle Beach estar entre as cidades que mais crescem nos últimos anos.

"Para um lugar como Myrtle Beach, pode ser que tenha como aumentar oportunidades para trabalhadores menos instruídos tentando diversificar a economia e promover o crescimento em setores que pagam salários melhores para trabalhadores com menos instrução", disse Wardrip.

Postos de trabalho que pagam mais e não exigem diploma universitário incluem enfermeiros, motoristas de caminhão pesado, contadores, profissionais de reparos, carpinteiros, eletricistas e policiais. Esses empregos variam de acordo com a área metropolitana.

Em Akron, Ohio (16ª classificada), enfermeiros com carteira assinada representam a melhor oportunidade de emprego, com 5.400 postos e salário médio anual de US$ 69,2 mil. O segundo melhor grupo em áreas metropolitanas é o de secretários e assistentes administrativos, com a oferta de 4.700 empregos e salário médio anual de US$ 34,3 mil.

Realize o sonho de morar fora: abra uma conta de investimentos na XP - é de graça! 

 

Contato