Desemprego permanece estável no País em outubro, segundo IBGE

Taxa de ocupação também não se alterou frente a setembro; contingente de desempregados é de 2,1 milhões de pessoas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A taxa de desemprego nas seis principais regiões do País permaneceu em 9,6% da PEA (População Economicamente Ativa) em outubro na comparação a setembro, após ter subido 0,2 ponto percentual um mês antes. A PEA fechou outubro em 22,2 milhões de pessoas.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que divulgou a Pesquisa Mensal de Emprego nesta quinta-feira (24), no confronto com igual período de 2004, a redução da taxa chega a 0,9 ponto percentual, uma vez que em outubro do ano passado ela era de 10,5%.

Desempregados

A pesquisa revela também que o contingente de desempregados permaneceu em 2,1 milhões na somatória de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre e Recife, número 7,3% menor que o registrado em 2004.

Aprenda a investir na bolsa

A única região a apresentar movimentação significativa na taxa de desemprego foi Porto Alegre, onde o indicador passou de 8,4% para 7,5% de setembro para outubro.

No último ano, houve um dinamismo maior no mercado de trabalho. Em Belo Horizonte, por exemplo, a taxa de desemprego caiu de 9,6% para 8,5%, e em São Paulo, de 11,2% para 9,6%. Enquanto houve estabilidade nas demais regiões, Recife foi a única capital a registrar crescimento do desemprego, com a taxa subindo de 12,1% para 14,3%.

População ocupada

A mesma estabilidade notada no nível de trabalhadores desempregados foi observada entre aqueles que possuem emprego. A população ocupada, estimada em 90,4% da PEA, permaneceu em 20,1 milhões de pessoas em outubro, mesmo patamar de setembro, mas 2,1% acima do resultado de outubro de 2004.

Em ambas as comparações setores como Indústria, Construção e Serviços Domésticos não apresentaram variações relevantes no que se refere às contratações ou demissões realizadas no período.

Na relação com igual período do ano passado, houve aumento da população ocupada no setor de Comércio (4,1%) com a contratação de 154 mil pessoas. Em seguida merece destaque o setor de Serviços prestados à empresa, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira (4,9%), e Educação, saúde, seguridade, administração pública e defesa (4,3%). Estes setores representam 19,7%, 14,3% e 15,7% da PO, respectivamente.

Categorias de posição

Mais 326 mil pessoas foram contratadas com carteira assinada no último ano, com a variação de 4,2% nos empregos formais (40,1% da PO). Sobre setembro o quadro foi de estabilidade. Os destaques ficaram com Belo Horizonte (7,2%), São Paulo (4,1%) e Porto Alegre (8,1%).

PUBLICIDADE

Já entre os trabalhadores informais e os por conta própria, houve estabilidade tanto diante de setembro de 2005 como em relação a outubro do ano passado. Estes dois grupos representam 15,7% e 19,5% da PO, respectivamente.