Educação

Depois de alta de 80% na taxa do Enem, inscrições caem 10,67%

No ano passado foram 9,5 milhões de inscrições, contra um pouco mais de 8,4 milhões de 2015

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Os estudantes que vão prestar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste ano tomaram um susto ao saber que a taxa de inscrição teve uma alta de 80%, passando de R$ 35 para R$ 63.

O valor não era reajustado há dez anos e a mudança deve significar R$ 60 milhões a mais de arrecadação para o governo, além de gerar uma economia de R$ 18 milhões.

Apesar de o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmar o preço não impediu os alunos de participar da prova, dados do MEC mostram que as inscrições caíram 10,67%, em relação ao ano passado. No ano passado foram 9,5 milhões de inscrições, contra um pouco mais de 8,4 milhões de 2015. Esta é a primeira redução, em relação ao ano anterior, nas inscrições desde 2011.

PUBLICIDADE

Como as inscrições terminaram na última sexta-feira (5), o número final de adesões ainda será confirmado. Além disso, a inscrição só é garantida após o pagamento da taxa, que tem prazo final nesta quarta-feira (10). Ou seja, o número que pessoas que irão fazer a prova será ainda menor – no ano passado, dos 9,5 milhões, pouco mais de 8,7 milhões pagaram a taxa.

O MEC irá investigar a causa dessa diminuição, mas uma das hipóteses levantadas pelo ministro é de que caiu o número de pessoas que não têm certeza se prestariam o exame. O governo mudou as regras em relação aos candidatos isentos do pagamento da taxa, sendo que aqueles que não fizerem o exame este ano e não justificarem, não terão isenção no ano que vem.

Tanto que o número de candidatos que solicitaram isenção por carência representa 43,9% dos inscritos, registrando uma queda em relação aos 52,5% do ano passado. São isentos também aqueles que concluírem o ensino médio na rede pública. Por outro lado, o número de pagantes subiu de 32,4% para 40,2% no último ano.

Qualidade de ensino
O Enem é utilizado como forma de avaliação dos alunos que estão encerrando o ensino médio ou que já o concluíram em anos anteriores, e pode ser utilizado como porta de entrada para diversas universidades brasileiras. As provas serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro.