Crise no mercado: confiança do brasileiro no emprego se mantém estável

Porém, 38% dos profissionais afirmam que conhecem alguém que perdeu o emprego nos últimos seis meses

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O brasileiro está tão confiante com relação ao seu emprego quanto há seis meses. Ao que parece, a crise mundial da economia continua a assustar, mas o movimento de temor de perda do emprego estabilizou-se.

Dados divulgados na quinta-feira (18) pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo) revelam que a segurança no emprego de 30% dos entrevistados está “mais ou menos igual”, na comparação com o sentimento que existia seis meses atrás.

A pesquisa também revelou que 38% dos brasileiros conhecem alguém que perdeu o emprego nos últimos seis meses. O número médio de demitidos conhecidos por essas pessoas foi de cinco, sendo maior no Norte e Centro-Oeste, com média de sete conhecidos, e menor no Nordeste, com média de três.

Confiança

Aprenda a investir na bolsa

Ao responder à pergunta “Comparando com seis meses atrás, hoje o senhor diria que está mais confiante ou menos confiante no que se refere à segurança do seu emprego, do emprego de outras pessoas da sua família ou de outras pessoas que o senhor conhece pessoalmente?”, muitos responderam que estão “um pouco mais confiantes” ou “um pouco menos confiante”, conforme a tabela:

ItemRespostas
Muito mais confiante4%
Um pouco mais confiante25%
Mais ou menos igual30%
Um pouco menos confiante24%
Muito menos confiante12%
Não sabe/não respondeu5%

Fonte: ACSP/Ipsos

As classes sociais A/B se mostram mais confiantes na segurança de seu emprego, uma vez que 36% dos respondentes desse grupo disseram que estão “um pouco mais confiantes” do que há seis meses. Na classe C, 28% responderam que estão “mais ou menos igual” e 26%, que estão “um pouco menos confiantes”. Nas classes D e E, 33% escolheram a opção “mais ou menos igual”.

Em relação às regiões do Brasil, no Nordeste e no Sul, a maioria das respostas se concentrou no mais ou menos igual, com 31% e 38% do total, respectivamente. No Norte/Centro-Oeste, a maioria das respostas (32%) indicou que as pessoas estão um pouco mais confiantes. Já no Sudeste, houve um empate, com 28% cada um, das respostas “mais ou menos igual” e “um pouco menos confiante”.

A pesquisa da ACSP foi realizada entre os dias 23 de maio e 1º de abril e levou em conta 1 mil entrevistas face-a-face domiciliares, que são realizadas todos os meses. Os respondentes pertencem a 70 cidades selecionadas, o que inclui nove regiões metropolitanas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, com um intervalo de confiança de 95%.