Carreira

Corda no pescoço? Você pode perder seu emprego em 10 dias

Fique atento à rotina que você não deve adotar para manter o seu trabalho

SÃO PAULO – Quanto tempo você acha que é necessário para perder um emprego? Pode parecer exagerado, mas 10 dias pode ser mais do que suficiente para que um profissional leve seu chefe ao limite e seja demitido nesse curto espaço de tempo.

Segundo o master coach, Alexandre Prates, muitas vezes, os comportamentos adotados pelos profissionais não são propositais, apesar de demonstrar muitas atitudes intoleráveis nos tempos atuais.

Se você conseguiu o emprego dos seus sonhos e não quer perdê-lo, fique atento à rotina que você não deve adotar para se manter firme, criar uma grande reputação e construir uma carreira de sucesso:

PUBLICIDADE

1º dia
Objetivo: 
mostrar o quanto você pode ser desagradável
Como agir: aquele conceito básico “a primeira impressão é a que fica” pode ser aplicado aqui de maneira exemplar. Ninguém te conhece, então, nada melhor do que criar uma imagem melhor de você mesmo para agradar a todos.

“Exagerar no perfume, optar por uma camisa nada discreta e cumprimentar a todos de uma maneira bem efusiva, com aquele aperto de mão vigoroso, abraços bem apertados e beijos molhados fará rapidamente com que as pessoas olhem você bem desconfiadas”, afirma Prates.

Aproveite para se enturmar, fazendo piadas a todo o momento e a cada situação, mesmo que você não as tenha vivenciado ou sequer conheça o protagonista da história. Fatalmente você falará demais e cometerá alguma gafe, como falar de forma pejorativa sobre homossexualismo e descobrir que o seu chefe é homossexual. E, no almoço, no primeiro almoço com os novos colegas, coma absurdamente e de maneira bem grosseira. Aproveite para contar histórias traumáticas da sua vida pessoal que ninguém quer saber. Para fechar com chave de ouro, seja bem preconceituoso em seus comentários sobre religião.

2º dia
Objetivo:
mostrar-se descomprometido
Como agir: chegue atrasado, esbaforido, com cara de sono e culpe o trânsito por isso. Diga que brigou com um motoqueiro e cite os palavrões que gritou a ele. E não se esqueça de colocar aquela camisa branca toda puída e amassada, que dá a impressão de que você acordou atrasado e não teve como passar.

Depois de se desculpar com o chefe, sussurre para os colegas que foi difícil acordar, pois a ressaca está demais. Levante-se, vá buscar um café e enrole alguns minutos. Após a chegada triunfal, pergunte em alto e bom tom: “O que eu faço hoje?”. “Pegue algum trabalho para fazer, mas fique bem atento as suas redes sociais, alternando entre o Facebook e o Whatsapp. Não se esqueça de rir alto e mostrar aquele vídeo que você achou bem engraçado para todos os colegas”, lembra o coach.

Às 11:15, comece a perguntar onde todos vão almoçar e vá dando sinais de que, após as 11:30, você já está em preparação para o almoço e reclame de fome algumas vezes. Às 11h55, levante-se e comece a convidar insistentemente todos para o almoço, inclusive perturbando aquele colega que está ao telefone, mesmo que a ligação seja importante. Ao retornar do almoço, boceje bem alto e diga que o período da tarde será bem difícil. Enrole o que for possível e, às 17:00, reclame que o dia não passa. Às 17:55, despeça-se de todos e vá embora.

PUBLICIDADE

3º dia
Objetivo:
provar a sua capacidade de bajulação
Como agir: na primeira reunião que participar, opine mais do que deveria. Aliás, dê pitaco em tudo e sobre o trabalho de todo mundo. Quando alguém disser que fez algo, diga que poderia ter feito de outra forma; quando o seu chefe apresentar os resultados, diga que está muito fraco e que tem muitas ideias para melhorar isso; e não se esqueça de repetir inúmeras vezes a frase “deixa comigo” e jamais deixe de concordar com tudo o que o seu chefe diz, inclusive peça a palavra e faça um elogio a ele no final da reunião. Se puxar aplausos, então, parabéns, você está se superando.

4º dia
Objetivo:
perder a sua credibilidade
Como agir: com todo mundo ironizando você agora, o caminho para a demissão começa a ser traçado. E fique tranquilo, as pessoas se encarregarão disso. Elas acabarão com você utilizando as suas próprias armas. “Já que você mostrou ser muito bom no que faz e vislumbrou todos com ideias brilhantes, vão lhe testar de uma maneira bem simples: cobrando todas as vezes que você disse ‘deixa comigo’.”

A partir desse momento, elas ficarão atentas a todos os seus erros e se afastarão. Você perceberá isso pela falta de companhia no almoço. Ninguém apoia quem critica tudo o que está sendo feito e muito menos quem deseja ganhar méritos por conta disso.

5º dia
Objetivo:
ganhar a desconfiança das pessoas
Como agir: falte. Isso mesmo, não vá trabalhar e arrume uma doença para justificar a sua ausência. Mas deixe para avisar às 11:00 e, ao invés de ligar, mande um whatsapp. Assim você não precisará fingir, caso não esteja mesmo doente.

6º dia
Objetivo:
fazer com que as suas ideias sejam rejeitadas
Como agir: cobre reconhecimento do seu chefe. Apresente uma ideia a valorize-a mais do que realmente vale, além disso, apresente para todas as pessoas insistentemente e, caso alguém critique o seu projeto, tente-o convencer a qualquer custo. “No caso de seu chefe, mostre toda a sua insatisfação e o quanto se sentiu ofendido. As pessoas não suportam profissionais carentes de atenção e reconhecimento.”

7º dia
Objetivo:
perder totalmente a confiança das pessoas
Como agir: invente um cliente para visitar, um curso para fazer ou um parente doente apara cuidar e não vá trabalhar novamente. Mas deixe uma brecha para descobrirem a sua mentira. E, quando for descoberto, chore e coloque a culpa na sua trágica situação de vida: sem dinheiro, filho doente, divórcio, despejo, procure contar uma história bem triste. Ao contrário do que você pensa, as pessoas não se comoverão com a sua história e, sim, ficarão cada vez mais descrentes da sua competência e profissionalismo.

8º dia
Objetivo:
ganhe o título de fofoqueiro
Como agir: lembra que você prometeu muitas coisas na reunião? Está na hora de entregar. “Quando for cobrado, faça algo que vai fazer o seu chefe pular da cadeira – invente um monte de desculpas”, afirma Prates.

E, quando o seu chefe parar de gritar, para tentar aliviar a sua barra, que tal queimar o filme de outra pessoa? Tente descobrir alguma coisa que ela faça de errado e dê um jeito de entregar isso. Mas, ao fazê-lo, conte de uma forma bem dramática a seu chefe, demonstrando o quanto você está sofrendo com isso, já que você é comprometido com a empresa e jamais poderia deixar isso acontecer. Por mais que você tenha razão, ninguém suporta um fofoqueiro e não querem um em sua equipe. 

9º dia
Objetivo:
incluir os adjetivos 
falso e descontrolado no seu currículo
Como agir: já que você não ganhou nenhum ibope com o seu chefe por ter contado a fofoca pra ele, precisa urgentemente limpar a barra com os colegas. Então, nada melhor do que tentar se desculpar e explicar o que fez, como se tivesse alguma explicação.

“Você rapidamente vai descobrir que ninguém vai confiar em você novamente. Nessa hora, nada pior do que apelar: chore, fale da sua dura vida e dos problemas que vem passando. Faça isso e verá que só vai piorar as coisas. E, como cartada final, perca a paciência, brigue, grite, pegue as suas coisas e vá embora.”

10º dia
Objetivo:
ser demitido
Como agir: com todo o clima negativo gerado por você, restará ao seu chefe chamá-lo para uma conversa. Quando questionado sobre o seu comportamento, dê o golpe de misericórdia: diga que está sendo perseguido pelos colegas e que isso acontece em todas as empresas por onde passa, pois as pessoas não gostam de quem aponta os erros. Para sacramentar a sua demissão, chore, diga que está muito arrependido e que quer mais uma chance, que não pode perder aquele emprego, que sua família depende disso, enfim, implore. “Aí você perceberá que implorar só vai acelerar a frase que seu chefe diria a você: ‘Desculpe, mas não está dando certo. Quem sabe em outra oportunidade!'”, finaliza Prates.