Como identificar e afastar as falsas amizades no trabalho

Segundo consultor, elas podem ser notadas pelo comportamento, como alguém que jura amizade, mas prejudica o próximo consciente ou inconscientemente

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Quem nunca passou por uma decepção com pessoas no ambiente de trabalho? Por mais triste que pareça a realidade, existem falsas amizades também no mundo corporativo. A boa notícia é que elas podem ser identificadas com clareza.

De acordo com o consultor da Manager Assessoria em Recursos Humanos, José Antônio Rosa, a falsa amizade pode ser notada pelo comportamento, como alguém que jura amizade, mas prejudica de maneira consciente ou inconsciente o próximo.

É possível identificá-la pela fala. “Tóxicas, que trazem veneno, escorregadias e com bajulação barata”. E, ainda, pelo que o corpo indica: o olhar de inveja ou a testa enrugada pela presença do outro. “Tudo isso é perceptível, mas as pessoas precisam aguçar a intuição”.

Quem são elas?

Aprenda a investir na bolsa

Segundo o psicólogo Alexandre Bez, a falsa amizade se aproxima porque você possui algo que lhe desperta desejo, como um objeto de valor, um cargo bom ou até uma outra pessoa com quem se relaciona.

Geralmente, os falsos não são nem pessoas muito jovens nem muito maduras: a faixa etária é entre 16 e 35 anos. “Nessa idade, a pessoa está crescendo, desenvolvendo sua personalidade e, ao mesmo tempo, deixando de lado sua inocência”, disse Bez.

Na amizade leal, acontece um crescimento mútuo entre as pessoas, o que não ocorre na falsa.

Como afastá-las?

Segundo o consultor da Manager, as falsas amizades devem ser tratadas com cortesia e distância social. “A pessoa deve evitar aproximação mais íntima e espontânea, mantendo-se fisicamente mais distante e formalmente mais protegida”.

A distância é importante porque, de acordo com ele, as falsas amizades podem prejudicar por meio de intrigas, calúnias e difamação. “Não são pessoas autênticas e propõem uma amizade que não sentem”.

De maneira alguma trate essas pessoas como inimigas. “O problema delas é pessoal com você, mas sempre que tiverem uma boa idéia devem ser aplaudidas e apoiadas. O interessado em proteger-se deve mirar o bem da organização, e não o outro como alvo”.

PUBLICIDADE

Agora, se houver dificuldades com os falsos amigos, o ideal é pedir ajuda em instâncias superiores.