Coaching não é terapia! Saiba mais sobre o assunto

"Há profissionais que se intitulam coach sem nem ter passado por um treinamento de coach. É uma confusão o que estão fazendo", alerta coach Maurício Sampaio

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O coaching tem certa influência da terapia, mas seu conceito é totalmente diferente. Enquanto a terapia trabalha fatos do passado para melhorar o presente, o coaching trabalha as ações do presente para melhorar o futuro.

A explicação é do coach Maurício Sampaio, que é diretor de Parcerias e Alianças da Sociedade Brasileira de Coaching. “O coaching é uma ferramenta muito pragmática, que não é desenvolvido em cima do passado”, diz ele.

Como funciona o coaching

A primeiro pergunta que é feita a um coachee (como é chamado quem passa por um processo de coaching) é: aonde você quer chegar?

Aprenda a investir na bolsa

A segunda etapa é o desenho de uma linha vertical e outra horizontal. A vertical diz respeito aos objetivos e ao que é necessário fazer para atingir os sonhos. Já a horizontal é a definição das habilidades que precisam ser desenvolvidas no meio do caminho. Por exemplo, que tem a meta de melhorar suas apresentações, deve trabalhar a comunicação oral, a timidez e o carisma.

Não demora para surtir efeito. De acordo com o diretor de Parcerias e Alianças da Sociedade Brasileira de Coaching, os resultados aparecem após cerca de oito sessões, podendo chegar a 12, sendo que as sessões costumam ser realizadas uma vez por semana e têm duração de uma hora ou pouco mais.

Cuidado ao contratar um coach

Sampaio alerta que, atualmente, muitos coachs estão trabalhando o processo de forma equivocada. “É uma confusão o que os profissionais estão fazendo, mas acho que isso é normal, porque o coaching chegou ao Brasil somente há dez anos. Como é um processo recente, podem ocorrer más interpretações”.

“Há profissionais que se intitulam coach sem nem ter passado por um treinamento de coach. Há outros que trabalham mais na base da terapia”, lamenta.

Para o especialista, o problema não é só a falta de conhecimento de quem oferece o serviço, mas também de quem contrata. A recomendação é, antes de contratar um coach, perguntar sua formação e se tem certificado e pedir para falar um pouco de sua experiência no nicho de atuação – há coachs que trabalham com expatriação, vendas, liderança, qualidade de vida, business, para citar alguns.