Em carreira / clt

Greve geral em SP: ônibus, CPTM e metrô funcionarão normalmente

Sindicatos dos Professores e bancários aderiram à paralisação; haverá manifestação

metrô na hora do rush 2
(Nacho Doce/Reuters)

SÃO PAULO - Convocada para esta sexta-feira, 30 de junho, a greve geral contra as reformas trabalhista e da previdência não teve adesão dos trabalhadores de transportes em São Paulo. Os sindicatos dos motoristas de ônibus, dos metroviários e dos ferroviários optaram por trabalhar normalmente na cidade.

Na última sexta-feira, o metrô chegou a confirmar a adesão. No entanto, nova votação realizada após a decisão das outras categorias, os metroviários decidiram não aderir também. 

Bancários e professores aderiram à greve e devem cruzar os braços amanhã. Manifestações estão marcadas para o aeroporto de Congonhas às 8h30 da manhã e para o vão do Masp, na Avenida Paulista, às 16h. As centrais sindicais – Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CGTB e Conlutas – também farão ato em frente à SRT.

Na tarde desta quinta-feira, um juiz da 12ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo proibiu a paralisação das atividades da CPTM e do metrô, que até então não haviam definido participar ou não da greve. Ele classificou a paralisação como abusiva. 

Um texto no site do sindicato dos metroviários da cidade convoca trabalhadores a comparecerem à manifestação geral: "Participe, fortaleça a luta contra as reformas trabalhista e previdenciária", escrevem os representantes da categoria. 

 

Contato