Líderes

Brucutu, paizão ou estrela? Saiba que tipo de chefe é o seu

Indiferentemente do perfil, cabe ao profissional tentar entendê-lo e respeitá-lo para que o trabalho alcance um resultado positivo

SÃO PAULO – Se tem algo que o profissional não consegue escolher durante sua carreira é o chefe que terá. Algumas pessoas têm sorte e trabalham com líderes que contribuem para o seu crescimento. Já outros têm de aprender a lidar com chefes despreparados. Mas nem tudo está perdido.

Para o professor e mestre em Administração, Marcos Morita, cabe ao profissional tentar entender os tipos de chefe, respeitar e saber tirar o melhor de cada um. “Mesmo que pareça impossível, pode ser mais efetivo que tentar encontrar o modelo que melhor se adeque ao seu perfil”.

Seis tipos comuns
Para ajudar no processo de entendimento do chefe, o especialista apontou seis perfis de líderes comuns dentro das organizações. Confira abaixo:

PUBLICIDADE

Brucutu: este tipo de chefe não aceita desculpas, atrasos ou trabalho entregues de má qualidade. Com temperamento forte e genioso, utiliza argumentos convincentes e às vezes apelativos. Para trabalhar com este tipo de líder é necessário estar sempre pronto, ter os resultados na ponta da língua e entregar as atividades dentro do prazo.

Teflon: nada de ruim ou negativo consegue grudar em sua imagem, seu maior patrimônio. Ele se desvencilha com facilidade de situações complicadas, tendo sempre um discurso ou resposta pronta. Para salvar sua pele, não titubeia em colocar terceiros em xeque. Uma boa sugestão é documentar e registrar o combinado, não deixando o dito pelo não dito.

Estrela: falante, extrovertido e um tanto egocêntrico, necessita da aprovação e admiração de seus subordinados. Não raro, costuma perder tempo com autoafirmações ou brincadeiras que o tenham como centro das atenções. Começar a conversa elogiando-o ajudará a amolecê-lo. Como perderá muito tempo se vangloriando, seja breve e sintético, sabendo que o foco não estará no problema apresentado.

Democrático: às vezes inseguro, prefere escutar a opinião da equipe a decidir sozinho. Apesar de ser considerado uma virtude, a médio prazo, esta característica pode se transformar em algo negativo, devido ao envolvimento da equipe em todos os assuntos. Ajudá-lo com dados secundários e informações de mercado, assim como sugerir a utilização de ferramentas como redes colaborativas, podem acelerar as decisões e reduzir o impacto na produtividade do grupo.

Paizão: este tipo de chefe protege a sua equipe. Gosta que seus profissionais se comporte como uma família, evitando ao máximo o conflito. Apesar de parecer um gestão confortável, pertencer a esta equipe pode gerar acomodação a seus integrantes. Combinar antecipadamente com o grupo decisões difíceis antes de apresentá-la a chefia, pode ser uma estratégia inteligente.

Bomba relógio: este tipo desconhece a diferença entre as palavras importante e urgente. Costuma literalmente sentar nos problemas deixando-os estourarem para que então saia em sua resolução. Costuma enlouquecer a equipe, fazendo de sua desorganização a prioridade do time. Organização e métodos são as chaves para colocar um pouco de sanidade nesta situação.