AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO da GPC divulga e comenta os resultados da empresa no 3º trimestre

Por Dentro dos Resultados: CEO da GPC divulga e comenta os resultados da empresa no 3º trimestre

Brasil gerou mais de 583 mil vagas de emprego no primeiro trimestre

De acordo com os dados do MTE, apesar do resultado positivo, em março, houve recorde histórico de demissões de 1.673.247

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No Brasil, foram geradas 583.886 vagas de trabalho nos três primeiros meses do ano, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira (19).

Somente em março, foram gerados 92.675 postos de trabalho. Frente ao mês anterior, foi registrado crescimento de 0,25% no estoque de emprego, resultado oriundo de 1.765.922 admissões e 1.673.247 desligamentos, maior registro da série histórica.

“Em março houve recorde de desligamentos. Este comportamento do empresariado não condiz com a reclamação de que falta de mão de obra qualificada”, disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Aprenda a investir na bolsa

O ministério acredita ainda que o resultado modesto apresentado em março, na comparação com janeiro e fevereiro, é devido, em parte, pela antecipação de contratações realizadas pelos estabelecimentos no mês de fevereiro e pela redução de dias úteis em março por causa do Carnaval.

“Março foi um mês atípico, e o resultado não tem, ainda, a meu ver, relação com uma possível desaceleração da economia. O mercado de trabalho está muito ligado ao mercado interno, e não vejo nestes dois demonstrações claras de desaquecimento; pelo contrário, o Brasil continua produzindo muito e vendendo para os brasileiros”, declarou Lupi.

Setores
Na análise entre os oito setores de atividade econômica, sete elevaram o nível de emprego no mês, com recorde para o setor Extrativo Mineral. Entre os 25 subsetores, 19 expandiram o emprego no mês, com dois deles revelando saldos recordes, três o segundo melhor saldo e um o terceiro maior resultado para o período.

Em relação às 27 Unidades da Federação, os dados revelam que 12 apontaram elevação do emprego, com recorde no Amazonas. Houve expansão do emprego em oito das nove áreas metropolitanas, com a geração de 42.116 postos de trabalho (0,28%). No interior dos estados das regiões metropolitanas foram gerados 60.208 postos, equivalentes ao crescimento de 0,46%.

Salário
Sobre o salário médio de admissão, no primeiro trimestre, houve um aumento real de 2,92%, em relação ao mesmo trimestre de 2010, ao passar de R$ 868,95 em 2010, para R$ 894,32 em 2011.