Brasil criou 189 mil empregos com carteira assinada em setembro

Nível de emprego cresce 5,11% em 12 meses e 0,73% frente a agosto; São Paulo foi o Estado que mais contratou

SÃO PAULO – O mercado brasileiro de trabalho formal criou 189,5 mil vagas profissionais em setembro, incrementando em 0,73% seu contingente total de mão-de-obra, segundo informa o Ministério do Trabalho e Emprego com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira (18). Este é o nono crescimento seguido registrado.

Ao se considerar a somatória de contratações de janeiro a setembro deste ano, a geração de postos profissionais atinge 1,408 milhão de empregos, avanço de 5,72% sobre 2004. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o número de postos de trabalho criados é de 1,265 milhão, denotando variação positiva de 5,11%.

Indústria de Transformação contratou mais em setembro

No que se refere aos empregos gerados em setembro, o Caged demonstra que a Industria de Transformação foi o setor que abriu mais vagas de trabalho, totalizando um saldo de 80.966 mil admissões, crescimento de 1,32%, o melhor resultado desde setembro do ano passado. O setor costuma se destacar nesta época para atender a sazonal expansão da demanda de final de ano.

PUBLICIDADE

Com outros 47,031 mil empregos criados durante o nono mês do ano, o Comércio aparece na segunda colocação da lista, com evolução de 0,81% em seu contingente de trabalhadores. Logo após aparece o setor de Serviços, com a abertura de 63,774 mil postos e crescimento de 0,63% sobre agosto. Há um ano, as contratações do Comércio haviam somado 45.181 e 58.859 postos, respectivamente.

Exceção

A Agricultura foi o único setor expressivo da economia que eliminou empregos. O segmento fechou o mês de setembro com 23.759 vagas a menos, ou redução de 1,6%. Apesar do resultado, o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, continua otimista, atribuindo o resultado a ajustes sazonais.

“No segundo semestre, há o período de entressafra no centro-sul do País, especialmente na cultura do café e de cereais. Mas é preciso ver que, mesmo com o fechamento de 23.759 postos de trabalho, o setor apresenta expansão de 13,69% no acumulado do ano, com geração de 175.641 empregos”, disse.

Mais empregos no Nordeste e Sudeste

Em termos geográficos, o Nordeste (91.779) e o Sudeste (65.184) foram as regiões que abriram o maior número de vagas. Destaque para São Paulo, que criou 58.792 empregos; e Pernambuco, com a abertura de 34.112 vagas.

O estudo aponta para a maior participação das áreas metropolitanas, que geraram 75.978 ocupações (0,71%), enquanto as cidades do interior criaram 46.204 vagas (0,47%). Mais uma vez, o desempenho agrícola no Centro-Sul responde pelo incremento modesto no campo.

Em outubro, a região metropolitana de São Paulo foi responsável pela maior variação do emprego, com a criação de 32.261 ocupações. Rio de Janeiro aparece com 11.361 postos e Recife com 10.898 empregos.