Bolsas de estudos podem ser alternativas para quem pretende estudar no exterior

Algumas instituições abrem suas inscrições a partir do próximo dia 04 de janeiro; candidato deve ter carta de aceitação

SÃO PAULO – Fazer um intercâmbio, uma graduação ou um curso de pós-graduação no exterior é, sem sombra de dúvidas, um grande diferencial na carreira de qualquer profissional.

Entretanto, tal aporte requer altos investimentos, que nem sempre são compatíveis com o bolso de quem deseja estudar fora do Brasil. Nestes casos, uma bolsa de estudos pode ser uma alternativa.

O Instituto Ling e a Fundação Estudar, por exemplo, abrem a partir do dia 04 de janeiro inscrições para quem quiser aperfeiçoar os conhecimentos tanto no Brasil quanto no exterior.

PUBLICIDADE

No primeiro caso, as inscrições encerram-se em 14 de maio de 2010 e as bolsas financiam parte dos custos de um MBA (Master of Business Administration) ou de um Mestrado em Leis em tempo integral em instituições norte-americanas, sendo que para concorrer aos incentivos, o interessado deve apresentar a carta de aceitação da escola onde pretende estudar, ser cidadão brasileiro e demonstrar necessidades de recursos.

Fundação Estudar
Já a Fundação Estudar tem suas inscrições abertas até 29 de janeiro do próximo ano. A entidade oferece bolsas de graduação e pós-graduação das mais qualificadas instituições do Brasil e do exterior e também oferece auxílio para intercâmbios acadêmicos vinculados a universidades brasileiras.

Para concorrer, os candidatos devem ser brasileiros natos ou naturalizados e estarem inscritos, ou em processo de aceitação, em instituições de alto nível. Além disso, para as bolsas de graduação, o pretendente deve estar matriculado entre o primeiro e o penúltimo ano dos cursos de Administração, Direito, Economia, Engenharia e Relações Internacionais em uma universidade que tenha notas “A” consistentes no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes).

No caso de ajuda para cursar uma faculdade nos Estados Unidos e Europa, são concedidas bolsas para os cursos de Administração, Ciências da Computação, Economia, Engenharia, Matemática e Relações Internacionais.

Por fim, para pós-graduação, a Fundação concede auxílio para quem ingressa em Master in Laws, Master in Arts, Master in Business Administration, Master in Public Administration, Master in Public Policy e Master in Science ou para programas de mestrados e intercâmbios vinculados à Fundação Getulio Vargas de São Paulo, PUC do Rio (Mestrado em Administração), ou UFRJ (Mestrado em Administração COPPEAD).

Rotary
Outra instituição que oferece ajuda para aqueles que desejam estudar fora do País é o Rotary Club.

Neste caso, os estudantes podem concorrer, por exemplo, a bolsas educacionais, no valor de US$ 26 mil, para um ano letivo, que ajudam a arcar com os custos de aprimoramento em qualquer área de estudos, mas que não podem ser aplicadas a pesquisa independente, residência médica ou atividades para obtenção de emprego.

Outro programa do Rotary é o Paz Mundial, cujos participantes podem fazer mestrado em Relações Internacionais, Administração Pública, Desenvolvimento Autossustentável, Estudos da Paz e Resolução de Conflitos.

Entidades
No geral, as bolsas oferecidas para estudos no exterior beneficiam profissionais em início de carreira, que demonstram liderança, espírito empreendedor, excelência acadêmica e identificação com os valores das entidades mantenedoras.

Algumas instituições esperam que, ao voltar, o bolsista doe pelo menos o valor original do benefício recebido para que outros estudantes sejam beneficiados.