ibge

Após registrar queda, emprego na indústria fica estável em junho

Em relação a junho de 2012, o emprego industrial recuou - 0,4%, apontou o IBGE

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A taxa de emprego na indústria brasileira registrou variação nula em junho deste ano, na comparação com maio, que registrou taxas negativas de 0,4%. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nesta sexta-feira (9).

Com o resultado, a média abril a junho assinalou variação negativa de 0,1% no trimestre encerrado em junho frente ao mês anterior, e permaneceu estável desde julho do ano passado.

Ainda na série com ajuste sazonal, na comparação trimestre o anterior (janeiro a março), o emprego industrial apontou ligeira variação negativa de 0,1%, após registrar 0,1% no último trimestre do ano passado e -0,2% no primeiro trimestre de 2013.

Aprenda a investir na bolsa

Análise regional
Em relação a junho de 2012, o emprego industrial recuou – 0,4%, devido à redução do número de trabalhadores em nove dos 14 locais pesquisados pelo IBGE. O principal impacto negativo foi observado na região Nordeste (-3,5%).

Vale citar também Rio Grande do Sul (-2,1%), Bahia (-5,6%) e Pernambuco (-5,9%). Por outro lado, Santa Catarina avançou 1,4% em junho.

Setores
Setorialmente, ainda no índice mensal, o total das pessoas assalariadas recuou em 10 dos 18 ramos pesquisados, com destaque para as pressões negativas vindas de calçados e couro (-5,4%), outros produtos da indústria de transformação (-3,8%), máquinas e equipamentos (-1,7%), vestuário (-1,8%), madeira (-4,4%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-1,6%).

Na contramão, os principais impactos positivos sobre a média da indústria foram observados nos setores de alimentos e bebidas (1,7%), borracha e plástico (2,5%) e meios de transporte (1,3%).