STOCK PICKERS Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Demissão

Após negociação com sindicato, TAM demitirá 811 tripulantes

A companhia oferecerá Programa de Licença Não-Remunerada e um Programa de Demissão Voluntária

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A TAM informou nesta quinta-feira que após reunião com o Sindicato Nacional dos Aeronautas que reduzirá o número de tripulantes que serão demitidos, passando de mil para 811.

Em nota, a empresa explicou que além de de cumprir integralmente a Convenção Coletiva, irá oferecer um Programa de Licença Não-Remunerada (LNR) e um Programa de Demissão Voluntária (PDV). Com a adoção desses programas, a TAM se compromete a reduzir o número de tripulantes impactados.

A LNR estará aberta para tripulantes de todos os equipamentos e terá validade de 18 meses, prorrogáveis por 12 meses. Nos 6 primeiros meses, o funcionário licenciado e seus familiares diretos contarão com plano de saúde e, durante o período da licença, com benefícios de bilhetes aéreos iguais aos dos funcionários ativos da empresa.

PUBLICIDADE

Já o PDV será oferecido para tripulantes de aeronaves da família Airbus 320 (A319/A320/A321). Incluirá uma indenização adicional para os que aderirem ao programa, além de seis meses de plano de saúde e três passagens aéreas para o funcionário e seus familiares diretos.

“A TAM arcará ainda com os custos da revalidação da Certificação de Habilitação Técnica no equipamento atual até o check no simulador de voo, nos casos em que ela vença nos três meses seguintes ao aceite do programa. Adicionalmente, proverá apoio à transição de carreira com consultoria especializada.”

A empresa reforçou que a decisão visa a garantir a sustentabilidade do negócio da empresa, adequando o quadro funcional à realidade operacional já em vigor. “A companhia convive com alta significativa dos custos, o que a levou a reduzir a oferta, no acumulado de 2011 até agora, em 12% no mercado doméstico.”