Siga esses passos

Aos 80 anos, fundador da Catho dá o melhor conselho de sua carreira

"Eu pretendo trabalhar até os 100 anos, amo o que eu faço, sou um verdadeiro ‘workaholic’", conta

SÃO PAULO – Thomas Case é o fundador da empresa de classificados de empregos Catho. Ele é americano, mas naturalizado brasileiro e tem grande experiência como empresário. Case fundou a Catho em 1977 e liderou a empresa até 2006, quando vendeu a companhia. Três anos depois, em 2009, recomeçou e fundou a Pés Sem Dor, uma companhia especializada em palmilhas ortopédicas.

A empresa vem crescendo e é a maior no ramo no Brasil. Segundo Thomas, o faturamento em janeiro deste ano aumentou 70% em relação ao mesmo período do ano passado. Ambas as ideias de negócios do empresário deram certo e ele credita o sucesso aos “investimentos na educação dos funcionários e em tecnologia”.

Todos os funcionários da empresa que ele administra recebem bolsas mensais de incentivo à graduação, cursos técnicos ou de línguas estrangeiras. “Mais do que pensar nos lucros é importante pensar nas pessoas que trabalham com você. O resto é consequência”, afirmou Case, em entrevista ao InfoMoney.

PUBLICIDADE

O empresário tem um currículo recheado: é bacharel em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual de Michigan, tem MBA pela Universidade de Oklahoma, fez um curso de extensão em Gerenciamento em Harvard e é Ph.D. em Administração, pela Universidade de Michigan.

Ele revela que o segredo para uma carreira de sucesso é nunca parar de aprender e não desistir. “Por experiência, acho que uma carreira bem-sucedida é feita por aquele profissional que está sempre disposto a aprender, se adaptar aos novos métodos e aquele que vai persistir sempre”, diz.

Aos 80 anos, Case faz uma hora de exercícios físicos antes de iniciar o dia de trabalho – acompanhado de um fisioterapeuta e não pensa em parar de trabalhar. “Eu pretendo trabalhar até os 100 anos, amo o que eu faço, sou um verdadeiro ‘workaholic’”, conta.

Ele diz que sempre amou trabalhar porque se orgulha muito do que fez. “Eu sou um apaixonado pelo que faço, com a Catho ajudei a diminuir o desemprego e agora com a Pés Sem Dor, eu ajudo os brasileiros a sentirem menos dores. Penso que meu negócio faz um bem social e isso é satisfatório”, conta.

O empresário diz ainda que pensa em empreender sempre para ajudar as pessoas. “Eu nunca trabalharia com cigarro, por exemplo, não faz bem à saúde. Sou a favor de sempre ajudar as pessoas com o que faço”, afirma.

Para quem pensa em abrir um negócio, Case aconselha que “pense em um produto útil que as pessoas vão precisar. Para abrir a Pés Sem Dor, pesquisei e vi que 80% dos brasileiros sentem ou já sentiram algum tipo de dor na região dos pés, tornozelos e joelhos”, explica.