Advogados especializados em fusões e aquisições recebem mais, diz pesquisa

Aumento de fusões e aquisições valoriza profissionais. Salários podem variar de R$ 3,5 mil a R$ 18 mil, segundo a Robert Half

SÃO PAULO – O segmento jurídico dentro das organizações nunca foi tão promissor. O aquecimento da economia brasileira tem impactado, sobretudo, na valorização de profissionais especializados na área consultiva tributária, no mercado de capitais e em fusões e aquisições. Para se ter uma ideia, os salários nestes segmentos costumam variar de R$ 3,5 mil para os cargos mais baixos e podem chegar até R$ 20 mil nos mais elevados.

Os dados fazem parte do Guia Salarial da Robert Half 2011-2012 que, pela primeira vez, traz uma análise dos cargos e salários de advogados de grandes, médios e pequenos escritórios e empresas.

Salary Guide 2011-2012

PUBLICIDADE

Especialização: Fusões e Aquisições

CARGOPequeno PorteMédio Porte/ BoutiqueGrande Porte
Advogado Júnior*3.500 – 5.0003.500 – 5.0003.000 – 6.000
Advogado Pleno**5.000 – 7.5005.000 – 9.0006.000 – 11.000
Advogado Sênior***7.200 – 12.0008.700 – 18.00010.000 – 18.000

Setores que mais contratam
Entre os setores onde a procura por profissionais especializados é maior, destacam-se o de Telecomunicações, Tecnologia da Informação, Construção Civil e Infraestrutura – estes, considerados os mais aquecidos do mercado atual por conta das fusões e aquisições.

Para a gerente da divisão de Legal da Robert Half, Mariana Horno, a intensificação das operações comerciais nestas áreas tem incentivado a contratação de advogados mais experientes e, consecutivamente, contribuído para uma valorização do setor.

“Observamos uma valorização salarial de 15% e 30% na remuneração anual dos profissionais, que costumam aprofundar seus estudos e se dedicar a pós-graduações em mercado e na área empresarial ou mesmo a mestrados”, avalia.

PUBLICIDADE

Investimentos em infraestrutura
Outros facilitadores que têm contribuído para as contratações no setor são a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, que serão realizados no País em 2014 e 2016, respectivamente.

“Tais obras exigem contratos extremamente complexos que envolvem altos valores, parcerias público-privadas, licitações e termos de compromisso de longo prazo. Estes fatores exigem profissionais com alta qualificação e experiência na área contratual, direito público, contratos bancários e conhecimento em normas de direito administrativo”, explica Mariana.

Além disso, vale lembrar que o crescente número de obras em setores como energia, construção civil e infraestrutura também deverão mobilizar a atenção de empresários e de bancos. “Há uma escassez de profissionais qualificados nas empresas e não há tempo para o treinamento, então, o que se observa em muitos casos, é a transição de profissionais de escritórios com experiência nesses segmentos para as empresas”, aponta Mariana. Nestes casos, também se verifica a valorização salarial de percentual entre 15 e 30%.

Para se ter uma ideia, nos bancos, os salários na área jurídica podem variar de R$ 3 mil nos cargos para recém-formados e chegar até R$ 40 mil para os diretores jurídicos das organizações.