Administração é o curso superior mais procurado do Brasil

De acordo com levantamento do MEC, em 2009, 1,1 milhão de estudantes se matricularam em um curso de administração

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Administração de empresas é o curso superior mais procurado do Brasil, segundo revelam dados do Censo da Educação Superior de 2009, divulgados nesta quinta-feira (13) pelo MEC (Ministério da Educação).

De acordo com o levantamento, naquele ano, 1,1 milhão de estudantes se matricularam em um curso de administração de empresas. O número é 68,8% maior do que o das matrículas registradas no segundo curso mais procurado, o de direito, com 651,7 mil alunos.

Na tabela abaixo, é possível conferir os dez cursos mais procurados do Brasil:

Cursos mais procurados
CursoMatrículas
Administração1,1 milhão
Direito651,7 mil
Pedagogia573,8 mil
Engenharia420,5 mil
Enfermagem235,8 mil
Ciências contábeis235,2 mil
Comunicação social221,2 mil
Letras194,9 mil
Educação Física165,8 mil
Ciências Biológicas152,8 mil

Aprenda a investir na bolsa

Considerando os cursos presencial e à distância, administração (17,1%), direito (12,7%) e engenharia (8,2%) foram os mais procurados no primeiro caso, enquanto que, no segundo, pedagogia (34,2%), administração (27,3%) e serviços social e orientação (8,1%) foram os preferidos.

Outros dados
Ainda segundo o estudo, em 2009, houve um crescimento de 13% na oferta de cursos, que somavam 28.966. Os cursos de educação à distância foram os principais responsáveis pelo aumento, com avanço de 30%. No mesmo período, os cursos presenciais apresentaram alta de 12,5%na oferta de cursos.

Com o aumento na oferta de cursos, é cada vez mais importante que o aluno escolha com atenção a graduação e a instituição de ensino onde irá estudar. Isso porque os dados do Censo apontam que somente 1,39% das instituições podem ser consideradas de excelência, com nota 5 – em uma escala de 1 a 5 , com 5 sendo o melhor resultado –, segundo avaliação do MEC.

A maior parte das escolas (52,7%) é considerada razoável (nota 3) e 6,92%, com nota 4, são satisfatórias. Outras 38,32% receberam nota 2 e 0,67% teve nota 1.

No que diz respeito aos cursos, apenas 5,5% dos avaliados pelo Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) alcançaram nota máxima. Neste caso, 1 e 2 são classificados como insatisfatórios, 3, como razoáveis, 4 e 5, bons.

Os cursos com piores desempenhos responderam por 32,33% do total de avaliados, sendo 28,4% com nota 2 e 3,93% com nota 1.

PUBLICIDADE