É possível

8 dicas de empreendedores que largaram o emprego para abrir o negócio dos sonhos

Empresários compartilharam as principais dicas de como fizeram para sair do clichê e construir uma renda baseado no que realmente gostam

SÃO PAULO – Já pensou em trabalhar fazendo o que realmente gosta? Sair do escritório e abrir um negócio próprio é possível. O site Business Insider selecionou 8 microempresários que saíram de seus empregos e começaram a seguir suas paixões – ganhando mais do que antes. Eles compartilharam as principais dicas de como fizeram para sair do clichê e construir uma renda baseada no que realmente gostam.

Veja as dicas:

1. Cat LeBlanc: Não saia do seu emprego atual antes de iniciar o seu novo negócio

PUBLICIDADE

Cat LeBlanc construiu sua carreira como consultora de negócios online depois de sair de seu emprego em um banco de investimentos. No entanto, ela não recomenda que os novos empreendedores sigam seus passos.

“Eu comecei meu negócio em setembro de 2013 depois de sair da Alemanha e ir para Melbourne. Eu tinha um trabalho muito estressante no banco, onde eu trabalhava mais de 80 horas por semana. Começar um negócio ao mesmo tempo que estava empregada no banco não era possível, então eu tive que sair do emprego”, conta LeBlanc.

Ela ainda diz que é importante você se organizar para não ter que sair do emprego, porque no início a renda do seu negócio não será muito alta. “É comum que sua renda ser esporádica no início. Você tem de estar preparado financeiramente para lidar com isso, que na maioria dos casos, significa ficar no trabalho atual até que você realmente não precise mais dele”, afirmou Cat.

2. Jason Fitzgerald: Crie um negócio consistente desde o primeiro dia

Apesar de iniciar sua carreira na área de consultoria e contabilidade, Jason nunca deixou de lado o hábito de correr. Anos depois decidiu deixar de lado seu emprego e começou a orientar pessoas que queriam praticar a corrida, ganhando mais de US$ 10 mil por mês.

“Desde o dia em que publiquei o meu primeiro post, faço dois artigos por semana, toda semana. Não importa se é Natal ou lua de mel. Isso vale não só para a constância de atualizações no seu empreendimento, mas também quanto a montar um networking com outros profissionais da área para construir relacionamentos”, explica Fitzgerald.

PUBLICIDADE

“Eu vi várias pessoas começarem algum tipo de negócio on-line, trabalharem nele por um mês, e depois ficaram ocupados e perderam força. Você não pode construir um negócio se você não está constantemente dando atenção a ele. Se você não trabalha para seu negócio ser consistente, talvez você não esteja pronto para fazer dar certo”, afirma Jason. 

3. Felicia Spahr: Tenha comprometimento com o seu negócio

Ela saiu do emprego em 2012 para se tornar uma consultora de liderança, ensinando os outros a desenvolverem habilidades para o mundo dos negócios. E sua nova carreira lhe rende cerca de US$ 8 mil a US$ 10 mil por mês.

“O aspecto mais importante é se comprometer com a ideia do seu negócio, pensar no que pode fazer com o produto ou consultoria, buscar ajuda no que precisar e se dedicar a fim de o negócio ser bem-sucedido. Na minha cabeça pensava: “eu vou ter sucesso”, pensava positivo ou daria certo ou daria certo e acho que isso contribuiu bastante para o meu sucesso”, explicou Spahr.

4. Natalie Sisson: Lute pela vida que você quer ter

Depois de passar oito anos no mundo corporativo, Natalie Sisson saiu do emprego e construiu seu próprio negócio online para ajudar outros empresários a criarem suas próprias empresas.

Hoje em dia ela ganha mais de US$ 200 mil ao ano e tem uma rotina tranquila podendo viajar várias vezes durante o ano.

” Para viver o que muitas pessoas ainda vêem como uma vida não convencional é preciso ter coragem e trabalhar duro para manter. Você tem que lutar por seu estilo de vida ideal, às vezes. Vale muito a pena, e você ainda tem a liberdade de viver a vida ao máximo”, conta Sisson.

5. Chandler Bolt: Não tenha medo de falhar

Chandler Bolt desistiu da faculdade em 2013 para iniciar uma orientação empresarial fornecendo cursos on-line e recursos para futuros empreendedores. Este ano, ele espera que o negócio trará em mais de US$ 1 milhão em receitas.

“Não tenha medo de falhar, mergulhe de cabeça caso você acredite no seu plano de negócio. Isso é algo que eu tenho que trabalhar mais. Faz parte errar algumas vezes, esteja de bem com isso. Cada vez que falha é um sinal de que está no caminho certo, sempre tentando. As pessoas bem-sucedidas chegaram onde estão justamente por tentar e errar muito mais. Faz parte do processo”, afirma Bolt.

6. Navid Moazzez: Não espere pela oportunidade perfeita

Moazzez abandonou a faculdade de Direito para construir um negócio que agora lucra cerca de US$ 40 mil por mês. “Nunca haverá um momento perfeito ou momento para começar. Tome um pequeno passo hoje, pense e aja sem perder tempo e apenas faça seu negócio acontecer”, explica Moazzez.

7. Selena Soo: Crie suas próprias oportunidades

Selena passou de uma profissional de relações públicas para uma consultora de negócios e relacionamentos e seu negócio lucrou mais de US$ 300 mil ano passado. Ela credita seu crescimento à sua vontade de aprender. Ela buscava conselhos com pessoas que admirava no início da carreira e se oferecia para ajudá-las da maneira que podia.

“Eu acho que em vez de esperar por oportunidades, podemos realmente criar as nossas próprias sendo proativos. Aqueles que nós admiramos, podem ter características que nos sejam úteis, às vezes você vê um pedaço de si mesmo neles. A oportunidade de ajudá-los é a recompensa, você pode aprender muito, além de te ajudar com os negócios. Foi a forma que achei de melhorar meu desempenho corporativo”, disse. 

8. Jeff Goins: Busque trabalhar com algo em que você é bom

Jeff Goins deixou seu emprego de lado para se tornar escritor, depois de ouvir de muitas pessoas que ele escrevia muito bem. Refletiu sobre o assunto e decidiu arriscar e mudar completamente de carreira – e de vida. Deu certo. Ele escreveu três livros e sua renda triplicou.

“Ouça você mesmo e entenda o que te faz feliz, escolha uma carreira que te faça bem. A pior coisa é insistir em uma carreira que não tem a ver com você”, afirma Goins.