Em carrefour

Abilio Diniz vende R$ 805 milhões em ações do Carrefour; papéis caem até 8% na B3

Com essa operação, o veículo de investimentos da família Diniz, a Península, diminuiu sua fatia na empresa de 11,46% para 8,91% - ou seja, houve uma venda equivalente a cerca de 22% da posição

Abilio Diniz vermelho
(Nacho Doce/Reuters)

SÃO PAULO - O empresário Abilio Diniz realizou a venda de R$ 805 milhões de ações do Carrefour Brasil (CRFB3) na B3. Foi vendido um bloco de mais de 50,5 milhões de ações.

Com essa operação, o veículo de investimentos da família Diniz, a Península, diminuiu sua fatia na empresa de 11,46% para 8,91% - ou seja, houve uma venda equivalente a cerca de 22% da posição. 

A venda da fatia teve valor médio de R$ 15,94 por ação (5% abaixo do fechamento da véspera) e o montante levantado foi bastante superior aos R$ 500 milhões que se planejava captar inicialmente. A ampliação aconteceu por conta da demanda existente pelo papel, que chegava a R$ 1 bilhão, segundo a fonte. 

Vale destacar que, nesta sexta, os papéis do Carrefour chegaram a cair 8,60% nesta sessão; às 16h10 (horário de Brasília), os ativos tinham queda de 6,21%, cotados a R$ 15,71. O volume registrado nesta sessão também é bastante expressivo, de R$ 887 milhões, em grande parte por conta dessa venda em bloco. 

Diniz entrou no capital do Carrefour em 2014 e chegou a ter uma participação de 12% no capital da varejista. Atualmente, ele é um dos conselheiros globais da rede de supermercados francesa. Desde que a Península entrou na operação local do Carrefour, o valor de mercado da companhia teve forte alta, passando de cerca de R$ 18 bilhões para R$ 33 bilhões.

Conforme destaca o jornal O Estado de S. Paulo, com o dinheiro arrecadado com a venda dos papéis do Carrefour, a Península deve voltar ao mercado para buscar novos negócios, sendo que os segmentos de consumo e saúde e bem-estar estão entre as principais áreas de interesse.

Invista em ações com taxa ZERO de corretagem: abra uma conta na Clear

 

Contato