Conteúdo editorial apoiado por

Toshiba abre caminho para fechar capital após oferta de US$ 13,5 bilhões de private equity

JIP pretende retirar empresa de eletrônicos da Bolsa de Tóquio após 74 anos

Bloomberg

Publicidade

A oferta bem-sucedida do fundo de private equity Japan Industrial Partners pela Toshiba abre caminho para uma aquisição de 2 trilhões de ienes (US$ 13,5 bilhões) que encerraria o período de 74 anos do grupo de eletrônicos como uma entidade listada.

A Toshiba, cujas raízes remontam a 1875, disse na quinta-feira (21) que o consórcio liderado pelo JIP detém agora 78,65% de todas as suas ações. Isso abre caminho para que o fundo nacional esmague os acionistas restantes e assuma o controle total da empresa no que deverá ser o maior negócio do Japão neste ano.

A saída da empresa da Bolsa de Valores de Tóquio encerraria uma década conturbada na empresa, marcada por escândalos, perdas e confrontos com acionistas ativistas que retardaram a capacidade de inovação da empresa.

No entanto, as questões de governaça podem persistir. Os credores da Toshiba estão pedindo que o diretor de operações deposto, Goro Yanase, assuma um papel de liderança na gestão, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

Yanase deixou o cargo no início deste ano para assumir a responsabilidade por reclamações de despesas de entretenimento inadequadas. Mas ele foi fundamental para preparar o caminho para o acordo de aquisição de capital e tem experiência no negócio de energia nuclear da Toshiba – fundamental para qualquer recuperação, disseram as pessoas.

O Sumitomo Mitsui Banking e outros bancos que financiam a aquisição por meio de 1,2 trilhão de ienes em empréstimos também estão pressionando por seus próprios representantes em posições de liderança, disseram as fontes, que pediram anonimato porque o assunto é privado. Há oposição dentro da empresa ao retorno de Yanase e a nomeação pode não ocorrer, disseram as pessoas.

Sede da Toshiba, em Tóquio: private equity assume controle da empresa (Kosuke Okahara/Bloomberg)

Um representante da Toshiba disse que nada foi decidido neste momento, acrescentando que a JIP e a Toshiba discutirão a estrutura de gestão da empresa após a privatização.

Um longo processo de leilão manteve o inventor do primeiro laptop do mundo e da memória flash no limbo durante um ano de mudanças em todo o setor, provocadas pelo crescente interesse pela inteligência artificial. Nesse ínterim, a Kioxia Holdings, afiliada de chips da Toshiba, ficou ainda mais atrás das líderes de mercado Samsung Electronics e SK Hynix., enquanto as negocia fusão com o negócio de memória flash da Western Digital.

Os executivos e credores da Toshiba disseram que o fechamento de capital permitirá à Toshiba se concentrar em uma estratégia de longo prazo. A empresa, cujos negócios incluem centrais nucleares, semicondutores de energia, baterias e unidades de disco rígido, já teve três presidentes em vários anos.

Uma vez celebrada pelos seus avanços tecnológicos, a Toshiba pagou o que foi a maior penalidade de sempre do Japão por falsificar demonstrações financeiras em 2015. Em seguida, sofreu uma incursão desastrosa no negócio nuclear que o forçou a fazer uma amortização de US$ 6,3 bilhões e a vender a sua memória, a joia da coroa. negócio de chips, reorganizado como Kioxia. Também separou suas operações médicas, de eletrodomésticos e de TV.

Os acionistas ativistas começaram a cercar a empresa em dificuldades e, em 2021, ela anunciou planos de divisão em três unidades, apenas para revisar esse plano em favor de uma divisão bidirecional em 2022. O presidente-executivo da época renunciou para assumir a responsabilidade pelo caos, após o que o conselho começou a solicitar propostas para tornar a empresa privada.

© 2023 Bloomberg LP

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tópicos relacionados