Conteúdo editorial apoiado por

Pela primeira vez em 49 anos, Komatsu do Brasil tem um presidente brasileiro

Jeferson Biaggi tem entre suas missões dar continuidade à ampliação da fábrica da empresa em Suzano 

Fernando Lopes

Publicidade

Pela primeira vez desde que iniciou suas operações, há 49 anos, a Komatsu do Brasil, uma das subsidiárias no país da tradicional fabricante japonesa de máquinas e equipamentos para os setores de mineração, construção, industrial e florestal, tem um presidente brasileiro.

Com mais de três décadas de casa, Jeferson Biaggi, que nos últimos cinco anos ocupou o cargo de vice-presidente de Manufatura, assumiu o comando na segunda-feira, no lugar de Norikazu Nakagawa. Como todos os presidentes anteriores, Nakagawa era um executivo expatriado, nascido no Japão – ele voltou para a fábrica da companhia em Ibaraki, na região de Kantô, na ilha de Honshu.

Biaggi tem pela frente a missão de dar continuidade ao crescimento da empresa, que continuará investindo na ampliação da produção de sua fábrica localizada em Suzano, no interior de São Paulo. De 2022 até agora, aportes de quase R$ 160 milhões elevaram a capacidade anual da planta em 26%, para 2,8 mil unidades, e para 2024 está prevista uma nova expansão, de 7%.

A unidade, inaugurada em 1975, foi a primeira da Komatsu fora do Japão. Ele lembra que, segundo projeções da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), entidade na qual é vice-presidente, as vendas de máquinas rodoviárias deverão crescer 5% no Brasil este ano.

O novo aumento da capacidade da planta de Suzano tem em vista esse incremento, que deverá ser impulsionado pelos investimentos previstos no novo PAC, e também uma tendência de avanço das exportações. De acordo com Biaggi, cerca de 40% da produção da fábrica é vendida para subsidiárias da Komatsu em outros países.

Os Estados Unidos são o destino de 65% das exportações. Até 2026, o plano é expandir a produção em Suzano – uma fábrica de pequeno porte localizada no município paulista de Arujá complementa as operações da planta – em 10%, com novas linhas de robôs de solda e máquinas de usinagem, entre outras melhorias. Nesse contexto, a empresa pretende ampliar seu número de engenheiros em 50%.

A Komatsu conta com 26 fábricas de máquinas de construção em diversos países, e no total tem 85 unidades. Além da Kamatsu do Brasil Ltda. o grupo japonês tem outras duas subsidiárias no país, a Komatsu Brasil International e a Komatsu Florestal, e também controla o Banco Komatsu do Brasil.

A divisão florestal responde ao braço da multinacional da Suécia. A Komatsu do Brasil produz máquinas para as outras duas subsidíárias. O faturamento global do conglomerado superou US$ 26 bilhões no último exercício, e a América Latina, puxada pelo Brasil, respondeu por 18% do total.

Esse peso faz do país estratégico para o desenvolvimento de novos produtos do grupo, e diversos projetos são desenvolvidos em parceria com a matriz japonesa. Um dos mais recentes é a Planter, uma plantadeira de eucalipto com capacidade para 900 árvores por hora.

Newsletter

IM Business Agro

Inscreva-se na newsletter e receba análises exclusivas sobre tudo que movimenta o universo do agronegócio, além de uma curadoria com o que de melhor aconteceu ao longo da semana

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.