Conteúdo editorial apoiado por

Nvidia atrasa lançamento de chip de IA voltado para China, dizem fontes

Tecnologia foi projetada para cumprir regras de exportação impostas pelos Estados Unidos

Reuters

Publicidade

CINGAPURA/PEQUIM (Reuters) – A Nvidia informou aos clientes na China que está atrasando o lançamento de um novo chip de inteligência artificial projetado para cumprir as regras de exportação dos Estados Unidos até o primeiro trimestre do próximo ano, disseram duas fontes familiarizadas com o assunto.

O chip adiado é o H20, o mais poderoso dos três microprocessadores desenvolvidos pela Nvidia para clientes na China para cumprir as novas restrições de exportação dos EUA, disseram as fontes. O adiamento pode complicar os esforços da companhia para preservar participação de mercado na China contra rivais locais como a Huawei.

A expectativa era que a Nvidia lançasse os novos produtos já em 16 de novembro, informou este mês o boletim informativo do setor de chips SemiAnalysis.

No entanto, o lançamento do H20 foi adiado para o primeiro trimestre do próximo ano, disseram as fontes, sendo que uma delas afirmou ter sido informada de que o lançamento poderia ocorrer em fevereiro ou março. A Nvidia não comentou.

As fontes disseram que foram informadas de que o H20 foi adiado devido a problemas que os fabricantes de servidores estavam tendo na integração do chip.

Além do H20, a Nvidia vem planejando dois outros microprocessadores para cumprir as exigências de exportação dos EUA — o L20 e o L2. As fontes disseram que o L20 não estava sofrendo atrasos e será lançado de acordo com o cronograma original. As fontes não fizeram comentários sobre o L2.

A Nvidia está apostando nos chips para ajudá-la a preservar sua participação de mercado na China, depois que foi impedida de enviar produtos, incluindo seus avançados chips A800 e H800 AI, devido às regras de exportação mais rígidas de Washington, que tenta frear os esforços de avanço tecnológico do país asiático.

O A800 e o H800 foram apresentados como alternativas para os clientes chineses em novembro de 2022, cerca de um mês depois que os EUA proibiram pela primeira vez as exportações de microchips e equipamentos avançados para a China.

O H20, o L20 e o L2 incluem a maioria dos recursos mais recentes da Nvidia para o trabalho de IA, mas tiveram algumas de suas medidas de poder de computação reduzidas para cumprir as exigências dos EUA, de acordo com a análise da SemiAnalysis das especificações dos chips.

As restrições de exportação dos EUA criaram uma oportunidade para rivais como a Huawei ganharem encomendas que, de outra forma, poderiam ter ido para a Nvidia, cujas unidades de processamento gráfico (GPUs) dominam o mercado de IA.

A gigante chinesa da internet Baidu fez um pedido considerável de chips de IA da Huawei este ano, informou a Reuters este mês citando fontes. Uma fonte disse que a Baidu havia feito isso antes do anúncio das restrições dos EUA porque estava se preparando para um futuro em que não poderia mais comprar da Nvidia.

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.