Conteúdo editorial apoiado por

Liberação de crédito rural da Cresol cresce mais de 50%, mas meta para a safra não será alcançada

Quebra climática e baixa de preços dos grãos reduzem ritmo de crescimento

Fernando Lopes

Publicidade

Embora continue a manter um ritmo forte de desembolsos de crédito rural nesta safra 2023/24, a Cresol, instituição financeira cooperativa com origem no Paraná, dificilmente alcançará a marca de R$ 15 bilhões em toda a temporada, como previa quando o plantio de grãos teve início no país, em setembro. Os problemas climáticos que prejudicam a produção de grãos em diversas regiões e a queda das cotações de soja e milho preocupam os agricultores, e as contratações de recursos, sobretudo para investimentos, perderam ímpeto.

“O cenário está mais difícil. O produtor está motivado, mas com um olhar mais cauteloso”, afirmou Adriano Michelon, vice-presidente da Cresol Confederação, ao IM Business. No primeiro trimestre da safra, entre julho e setembro, as liberações de crédito da instituição, puxadas por contratações para custeio, atingiram quase R$ 6 bilhões, praticamente 50% mais que em igual intervalo do ciclo anterior, mas a meta de R$ 15 bilhões traçada representa um incremento de 80% na comparação com o total emprestado em 2022/23 como um todo (R$ 8,3 bilhões).

Adriano Michelon, vice-presidente da Cresol Confederação (Foto: Divulgação)

Segundo Michelon, para a Cresol a conjuntura adversa no campo não tem se traduzido em aumento de inadimplência, e até agora não foi preciso programar provisões extras para lidar com problemas de pagamento. “Boa parte dos nossos negócios é na região Sul, que sofreu menos com o clima. E nossos clientes, grande parte de pequeno e médio portes, normalmente contam com seguro ou Proagro”, explicou o executivo.

Já o objetivo da Cresol de fechar 2024 com 1 milhão de associados no país caminha bem. No início da temporada, eram 870 mil, e atualmente já são mais de 900 mil. Sicredi, com mais de 6,5 milhões de associados, e Sicoob, que já superou o patamar de 7 milhões, são as maiores instituições financeiras cooperativas brasileiras. Com a chegada no Pará e no Maranhão em 2023, a Cresol passou a estar presente em 19 Estados do país. Neste ano, Amazonas e Tocantins também deverão entrar na lista, no segundo semestre.

O segmento rural responde por cerca de 50% das operações de crédito da Cresol, os recursos repassados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) são a fonte da maior parte dos contratos do grupo – na safra 2022/23, representaram mais de 50% do total. Do ponto de vista do fluxo de entrada desse dinheiro, Michelon não vê interrupções pela frente. “Estão sobrando recursos no BNDES”, disse ele.   

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tópicos relacionados