Conteúdo editorial apoiado por

Google resolve ação de US$5 bi sobre privacidade do consumidor nos EUA

Ação judicial alegava que empresa estaria rastreando secretamente uso de internet

Reuters

Publicidade

(Reuters) – O Google, da Alphabet, concordou em resolver uma ação judicial de pelo menos 5 bilhões de dólares alegando que a empresa rastreava secretamente o uso da internet de milhões de pessoas que pensavam estar navegando de forma privada.

A juíza Yvonne Gonzalez Rogers, do Tribunal Distrital dos Estados Unidos em Oakland, Califórnia, suspendeu nesta quinta-feira um julgamento agendado para 5 de fevereiro de 2024 de uma ação coletiva, depois que advogados do Google e dos consumidores disseram ter chegado a um acordo preliminar.

Os termos do acordo não foram divulgados, mas os advogados disseram que concordaram com uma proposta vinculante por meio de mediação e esperam apresentar um acordo formal para aprovação judicial até 24 de fevereiro de 2024.

Nem o Google nem os advogados dos consumidores autores da ação responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

Os autores alegaram que as análises, cookies e aplicativos do Google permitiam que a unidade da Alphabet rastreasse sua atividade, mesmo quando configuravam o navegador Chrome do Google para o modo “incógnito” e outros navegadores para o modo de navegação “privada”.

Eles afirmaram que isso transformou o Google em uma “coletânea incontrolável de informações”, permitindo à empresa conhecer seus amigos, hobbies, comidas favoritas, hábitos de compras e “coisas potencialmente embaraçosas” que procuram online.

(Reportagem de Jonathan Stempel em Nova York)

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.