Conteúdo editorial apoiado por

Fintech de antecipação de aluguéis chama a atenção de executivos de peso

CashGo nasce com Conselho composto por antigos membros de Bradesco, BMG e Banco Pan, além de fundadores da seguradora Pottencial

Iuri Santos

Publicidade

A fintech CashGo largou nos seus primeiros anos sob uma tutela de peso. Com a ideia de oferecer uma antecipação de recebíveis de aluguel aos proprietários de imóveis, a empresa chamou a atenção de antigos executivos de Bradesco BBI, BMG, Banco Pan e Pottencial Seguradora, membros do Conselho de Administração da companhia desde o dia zero.

Fundada em 2021, a startup conta com um bloco de acionistas formado pelo antigo vice-presidente do Bradesco BBI, Sérgio Clemente, o ex-presidente do Banco Pan, José Luiz Acar e o ex-diretor executivo do BMG, Fernando Perrelli. Um segundo bloco é composto pelos fundadores da seguradora Pottencial, representados pelo atual CEO da empresa, João Geo Neto e pelo vice-presidente Carlos Ferreira Quick. Em setembro de 2022, a empresa ainda abriu um espaço no conselho para a nova acionista RBR, uma asset do mercado imobiliário.

“A nível de governança, como nascemos da discussão de dois acionistas aqui, eles sempre fizeram questão de ter um Conselho desde o dia zero. No primeiro dia o nosso escritório tinha uma pessoa, mas já tinha o Conselho composto por esses dois blocos”, diz o CEO da empresa, João Palhares. “Nós temos essa dinâmica que era de mensalmente, e hoje bimestralmente, reportar para o Conselho de Administração”, explica.

O foco da CashGo é um produto de crédito que antecipa ao locador de um imóvel até 24 meses de seus recebíveis, com um limite de 90% do aluguel mensal. A empresa concorre com os demais produtos financeiros oferecidos por bancos, mas suas taxas são similares principalmente aos juros de empréstimos consignados com base no salário, limitados a 35% da renda mensal.

Para acessar os locadores, a companhia adota uma estratégia de parcerias com grandes imobiliárias que dispara para sua base de clientes mensagens via e-mail ou WhatsApp, o que garante uma conversão de 15% em cotações de empréstimo. No fim, a imobiliária se torna um canal de vendas para o produto, mas também ganha competitividade no mercado por criar uma possibilidade de crédito ao proprietário do imóvel.

A princípio, esse processo poderia gerar um problema para as imobiliárias: quando um cliente se interessa pelo crédito, a imobiliária precisa enviar os dados daquele proprietário para a CashGo. Se feito de forma manual, esse fluxo gera despesas operacionais. Para contornar isso, a fintech tem se conectado às principais plataformas de gestão empresarial (ERPs) utilizadas por imobiliárias nos aluguéis para criar um barreira de entrada contra novas empresas dispostas a oferecer o mesmo serviço.

“Hoje nós estamos fechadas com os quatro maiores integradores ERP do Brasil, com isso nós conseguimos fechar esse mercado. Nossos esforços agora são de fato fazer essa integração. Pensando em estratégia de penetração em imobiliárias, esse vai ser o nosso principal foco”, diz a diretora de produto da CashGo, Carolina Valdes.

Hoje a empresa tem uma atuação mais forte no interior, onde as imobiliários tem conseguido maior penetração do produto de crédito e melhores conversões. Hoje, a média do custo de aluguéis que servem como antecipação para o empréstimo ronda entre R$ 1.500 e R$ 1.700,  têm sido mais engajadas e a penetração da empresa é grande. A fintech diz estar dedicada em aprimorar e expandir o seu principal produto, mas projeta, no futuro, buscar novas possibilidades dentro do canal das imobiliárias, como antecipações da corretagem de vendas para corretores e crédito para reformas.

IM Business

Newsletter

Quer ficar por dentro das principais notícias que movimentam o mundo dos negócios? Inscreva-se e receba os alertas do novo InfoMoney Business por e-mail.

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.