Conteúdo editorial apoiado por

EUA investigam veículos da Nissan por problemas nos airbags após recall falho

A Nissan emitiu um aviso na quarta-feira informando aos proprietários de 84.000 veículos para não dirigirem seus carros

Reuters

Logo da Nissan. (Foto: REUTERS/David Dee Delgado)

Publicidade

(Reuters) – Os reguladores de segurança automotiva dos Estados Unidos informaram nesta segunda-feira (3) que abriram uma investigação sobre cerca de 75.000 veículos da Nissan devido a relatos de acionamentos involuntários de airbags laterais.


A investigação da Administração Nacional de Segurança no Trânsito nas Estradas (NHTSA, na sigla em inglês) abrange os modelos de 2015 do veículo Rogue Select, após relatos que alegam acionamentos inadvertidos depois que a porta é fechada ou batida.
A NHTSA disse que os acionamentos podem causar ferimentos nos passageiros ou resultar na perda da proteção do airbag. A Nissan não se pronunciou imediatamente.


Na semana passada, a Nissan e a NHTSA disseram aos proprietários de cerca de 84.000 veículos nos EUA equipados com airbags da Takata, que foram alvo de recall e não foram consertados, que parassem imediatamente de dirigir os veículos devido a um risco à segurança.

Continua depois da publicidade


A Nissan emitiu um aviso na quarta-feira (29) informando aos proprietários de veículos para não dirigirem determinados veículos — o Nissan Sentra 2002-2006, o Nissan Pathfinder 2002-2004 e o Infiniti QX4 2002-2003 — que foram alvo de recall em 2020, mas não foram consertados.


Mais de 30 mortes em todo o mundo — incluindo 27 nos EUA — e mais de 400 feridos foram registrados desde 2009 em veículos vendidos por várias montadoras devido aos infladores de air bag da Takata que podem explodir, liberando estilhaços de metal dentro de carros e caminhões.