Conteúdo editorial apoiado por

Disputa entre Scarlett Johansson e OpenAI realça temor de Hollywood com IA

A acusação de Johansson de que a OpenAI copiou sua voz no filme Her depois de não ter chegado a um acordo, reacendeu a ansiedade da classe artística

Reuters

Atriz Scarlett Johansson 24/05/2023 (Foto: REUTERS/Sarah Meyssonnier)

Publicidade

Por Dawn Chmielewski e Anna Tong
(Reuters) – A aparente homenagem da OpenAI para o filme “Ela”, colocando uma voz parecida com a da atriz Scarlett Johansson, está alimentando críticas contrárias à inteligência artificial em toda Hollywood, disseram executivos à Reuters. 

A acusação de Johansson de que a criadora do ChatGPT copiou sua performance no filme dirigido por Spike Jonze, depois de não ter chegado a um acordo, reacendeu a ansiedade da classe artística sobre a ameaça existencial representada pela IA, mesmo enquanto os estúdios de Hollywood testam novas ferramentas e ponderam alianças com a OpenAI.   

“Isso parece que realmente mexeu com o setor”, afirmou um executivo da indústria. “Coloca um rosto humano nisso. Há uma empresa de tecnologia conhecida que fez algo a alguém que conhecemos.” 

Continua depois da publicidade

A OpenAI sacudiu o mundo em fevereiro, ao mostrar vídeos com qualidade de filme, gerados por sua ferramenta de texto para vídeo, a Sora. Desde então, executivos de Hollywood se encontraram com a empresa várias vezes para discutir possíveis parcerias criativas e aplicações para a tecnologia, de acordo com empresários e executivos da indústria. 

As críticas de Johansson contra a OpenAI por usar, em sua nova versão do ChatGPT, uma voz sensual que ela chamou de “assustadoramente semelhante” à sua performance, antagoniza com alguns executivos, em meio a discussões de como trabalhar mais proximamente com a tecnologia em alguns projetos, disseram à Reuters pessoas próximas ao tema.   

“Isso certamente não estabelece uma colaboração respeitosa entre os criadores de conteúdo e as gigantes da tecnologia”, afirmou um executivo da indústria dos estúdios, chamando as ações da OpenAI de “arrogantes”. 

Continua depois da publicidade

CEO da OpenAI, Sam Altman afirmou em comunicado divulgado na segunda-feira que a voz “não é da Scarlett Johansson, e nunca teve a intenção de imitá-la”.
“Escolhemos a dubladora para a voz de Sky antes de qualquer contato com a Sra. Johansson”, disse.    

A empresa, cuja maior investidora é a Microsoft, não respondeu a pedidos para comentar seu relacionamento com Hollywood após a polêmica.  Mesmo antes desse conflito, agentes e empresários que falaram com a Reuters em anonimato afirmaram por semanas que estão preocupados pelo fato de os modelos da OpenAI aparentemente terem sido treinados com trabalhos que possuem direitos autorais, algo que a empresa considera como um uso justo, pois tais trabalhos estão publicados na internet. 

(Reportagem de Dawn Chmielewski)
((Tradução Redação São Paulo))

Tópicos relacionados