Conteúdo editorial apoiado por

Com plano de R$ 2 bi, 3tentos consolidará presença em MT e terá mais opções para decisões estratégicas

Maior parte dos recursos será destinada à construção de uma usina de etanol de milho

Fernando Lopes

Publicidade

Anunciado na noite de ontem, o plano da 3tentos de investir R$ 2 bilhões até 2030 para ampliar suas operações de insumos, grãos e industrialização vai consolidar a estratégia de diversificação geográfica adotada pela empresa gaúcha há alguns e conferir maior conforto para a escolha dos melhores negócios a serem fechados em suas áreas de atuação. No cenário traçado pela companhia, a alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda) também permanecerá em baixos patamares, embora as fontes de financiamento para os projetos que serão desenvolvidos ainda estejam sendo definidas.

Em videoconferência para analistas na manhã desta terça-feira, a 3tentos informou que dos aportes totais planejados, metade será destinada à construção de uma usina de etanol de milho em Porto Alegre do Norte, Mato Grosso, no eixo da BR-158, paralelo ao da BR-163, onde a companhia inaugurou no ano passado sua primeira esmagadora de soja no Estado, no município de Vera. A planta deverá começar a rodar no início de 2026, e terá capacidade diária para processar 2,1 toneladas de milho e produzir 935 metros cúbicos de etanol. além de 587 toneladas de DDG (dry distillers grains), destinado à alimentação animal.

“O plantio de milho já ocupa cerca de 1,2 milhão de hectares nessa região, as perspectivas são de crescimento e não ainda há usinas de etanol implantadas. Vamos trabalhar com todo o nosso portfólio para avançar nesse mercado, como já estamos fazendo com a soja. Dessa forma, quando é mais vantajoso processar os grãos, processamos, e quando é melhor exportar, exportamos”, exemplificou Luiz Osório Dumoncel, fundador e CEO da 3tentos, ao IM Business. Os esforços para fincar as bases na nova região de atuação começarão este ano, com a originação de milho, e revendas de insumos serão inauguradas para maximizar os negócios e estabelecer boas relações com os produtores que, num segundo momento, fornecerão o milho para a usina.

Luis Osório Dumoncel, 3tentos em entrevista ao podcast de negócios e empreendedorismo Do Zero ao Topo
Luiz Osório Dumoncel, fundador e CEO da 3tentos (foto: Produtora Pupa)

No total, incluindo Rio Grande do Sul e os dois eixos de atuação em Mato Grosso, a empresa pretende investir R$ 280 milhões para inaugurar 37 novas lojas de insumos até 2030, o que elevará o número total para 100. Paralelamente, R$ 260 milhões serão aplicados na ampliação das capacidades de esmagamento de soja das fábricas de Ijuí, no Rio Grande do Sul, e de Vera, além de adaptações na planta de Cruz Alta, também no Rio Grande do Sul, e na expansão da produção de biodiesel, sementes e fertilizantes.

De acordo com a 3tentos, com isso sua capacidade total de esmagamento de soja crescerá de 6,5 mil para 10,5 mil toneladas por dias, a produção de biodiesel saltará de 1,85 mil para 2,5 mil metros cúbicos por dia, a de sementes subirá de 600 mil sacos para 1 milhão de sacos por ano e a fabricação de fertilizantes passará de 150 mil para 300 mil toneladas anuais.

Ainda dentro do plano até 2030, cerca de R$ 200 milhões serão direcionados pela 3tentos para a construção de um terminal portuário em Miritituba, no Pará, em parceria com a Caramuru Alimentos, que aportará outros R$ 200 milhões. Com esse projeto, os parceiros vão fortalecer sua estrutura logística para o escoamento de grãos para exportação pelo Arco Norte, onde os volumes em geral são crescentes por causa das menores distâncias – e custos – para as cargas que saem no Centro-Norte do país.

A conta do plano da companhia se completa com R$ 220 milhões que serão reservados para “avenidas de expansão”, que incluirão ações em inteligência e logística, assistência e tecnologias e serviços financeiros para apoiar as necessidades de financiamento do produtor. “Esse é o nosso Norte. Teremos um ecossistema completo para soja e milho em Mato Grosso, como temos para soja e trigo no Rio Grande do Sul”, disse Dumoncel.

Durante a videoconferência, Cristiano Costa, CFO da 3tentos, afirmou que 30% dos investimentos projetados deverão ser bancados com capital de giro, 25% com “operações estruturadas” e 45% com outras fontes de longo prazo. Ao IM Business, Dumocel afirmou que a companhia já negocia acesso a linhas incentivadas do BNDES, que tendem a ser uma dessas fontes. “E, mesmo com esses investimentos, nossa alavancagem, que hoje está perto de zero, deverá ficar em torno de 2 vezes, o que é um patamar confortável”, disse.

A 3tentos encerrou os primeiros nove meses de 2023 com receita líquida de R$ 6 bilhões, 26,2% mais que no mesmo período de 2022, lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado de R$ 267,9 milhões, queda de 18,4% na comparação, e lucro líquido de R$ 298,2 milhões, 14,7% maior. A divisão Indústria liderou a receita, com R$ 3 bilhões, seguida por Insumos (R$ 1,5 bilhão) e grãos R$ 1,4 bilhão.

Newsletter

IM Business Agro

Inscreva-se na newsletter e receba análises exclusivas sobre tudo que movimenta o universo do agronegócio, além de uma curadoria com o que de melhor aconteceu ao longo da semana

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.