Conteúdo editorial apoiado por

Agricultura vai triplicar contribuição para economia da Argentina em 2024

Segunda maior safra da história ajudará o governo de Javier Milei

Alexandre Inacio

Publicidade

A agricultura vai dar uma contribuição três vezes maior para a economia argentina em 2024. Estimativas da Bolsa de Comercio de Rosario indicam que o valor bruto da produção de grãos irá superar US$ 15 bilhões este ano ante os US$ 5,3 bilhões registrados em 2023.

O principal motivo para o aumento da “ajuda” do setor é a recuperação da safra do país, depois do desastre registrado no ciclo 2022/23. A Argentina deve colher na safra 2023/24 cerca de 137 milhões de toneladas, volume 65% superior à anterior e a segunda maior produção da história.

Os efeitos do El Niño foram atenuados pelas chuvas que atingiram as lavouras do país, ainda que tardiamente. Assim, a produção de milho alcançará 56 milhões de toneladas, seguida pela de soja, com 50 milhões. 

Com uma oferta maior, as exportações de grãos terão incremento de 65% e devem atingir 100 milhões de toneladas. Ainda que as “retenciones” tenham sido mantidas e até elevadas pelo governo de Javier Milei, os embarques de milho e trigo chegarão a 40 milhões e 9,5 milhões de toneladas, respectivamente.

A Argentina tentará recuperar também sua posição no mercado de derivados de soja. A Bolsa de Rosario estima uma exportação de 30 milhões de toneladas de farelo e de 6,7 milhões de toneladas de óleo. Em ambos os casos, um crescimento da ordem de 45%.

Newsletter

IM Business Agro

Inscreva-se na newsletter e receba análises exclusivas sobre tudo que movimenta o universo do agronegócio, além de uma curadoria com o que de melhor aconteceu ao longo da semana

Preencha o campo corretamente!
E-mail inválido!
Preencha o campo corretamente!
Preencha o campo corretamente!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.