Conteúdo editorial apoiado por

Acionistas da Hess votam a favor da aquisição de US$ 53 bi pela Chevron

Confirmação é vitória para Chevron, que garante participação na maior descoberta de petróleo da última década, adquirindo a Hess e sua participação de 30% em um campo da Guiana

Bloomberg

Produção de petróleo na Califórnia (Foto: David McNew/Reuters)

Publicidade

Acionistas da Hess aprovaram a aquisição de US$ 53 bilhões pela Chevron, apesar das reservas de vários investidores proeminentes sobre uma disputa com a Exxon Mobil por um ativo-chave, de acordo com pessoas familiarizadas com o movimento.

Os acionistas da Hess aprovaram o acordo durante uma reunião virtual nesta terça-feira (28), de acordo com as pessoas que preferiram não ser identificadas porque o assunto ainda não é público.

As ações da Hess inicialmente caíram com a notícia, recuando até 1%, mas depois se recuperaram. O estoque estava em alta de 0,1% às 14h20 em Nova York.

Continua depois da publicidade

A confirmação é uma grande vitória para a Chevron e o CEO Mike Wirth, que buscaram garantir uma participação na maior descoberta de petróleo da última década, adquirindo a Hess e sua participação de 30% em um campo da Guiana. Nos últimos dias antes da votação, o CEO da Hess, John Hess, o executivo-chefe de petróleo mais antigo em exercício, fez lobby pessoalmente com os acionistas para apoiarem o acordo.

A transação ainda precisa passar pela Comissão Federal de Comércio dos EUA, bem como pelo caso de arbitragem em andamento movido pela Exxon sobre o controle do interesse da Hess no campo da Guiana. A Exxon disse que os procedimentos podem se arrastar até 2025.

Investidores da Hess, incluindo o HBK Capital Management e a D.E. Shaw & Co., haviam anunciado publicamente planos de se abster da votação, argumentando que o prêmio de aquisição era insuficiente para cobrir o risco da arbitragem que a Exxon apresentou sobre a Guiana em março. A Exxon afirmou ter direito de preferência sobre o ativo mais valioso da Hess – a participação em um campo de 11 bilhões de barris na costa da Guiana – que é operado e possui 45% de propriedade da gigante do petróleo do Texas.

Continua depois da publicidade

Para a Chevron, a adição dos ativos da Hess tem como objetivo conter as preocupações dos investidores sobre as perspectivas de crescimento de longo prazo da empresa de petróleo da Califórnia.

A votação também é um marco para John Hess, 70 anos, cujo pai fundou a empresa quase um século atrás. John Hess controla aproximadamente 10% das ações comuns da empresa e ocupará um assento no conselho da Chevron ao final do acordo.

© 2024 Bloomberg L.P.