Em braskem

Braskem recebe oferta que a avalia em mais de US$ 10 bi, diz Dow Jones; ação dispara 12%

Segundo a agência, as conversas ainda estão em estágio inicial, sem nenhuma garantia de que, de fato, o negócio ocorrerá

Braskem_petroquímico
(Divulgação)

SÃO PAULO - As ações da Braskem (BRKM3BRKM5) disparam nesta segunda-feira após rumor sobre aquisição da petroquímica. Às 16h11 (horário de Brasília), os papéis PNs da empresa - que possuem mais liquidez na B3 - marcavam alta de 11,86%, a R$ 53,20, enquanto os ONs registravam valorização de 11,83%, a R$ 52,00.

O motivo da euforia ocorre após a LyondellBasell ter abordado a Braskem para uma possível aquisição, que poderia avaliar a empresa brasileira em mais de US$ 10 bilhões, diz a agência Dow Jones nesta tarde, citando pessoas com familiarizadas ao assunto mas que pediram anonimato. 

Segundo a agência, as conversas ainda estão em estágio inicial, sem nenhuma garantia de que, de fato, o negócio ocorrerá. Se concluído, essa seria a segunda maior aquisição de uma empresa brasileira, diz a Dow Jones, citando a Dealogic. 

Em relatório, analistas do Itaú BBA comentaram que não acreditam que a LyondellBasell pague prêmio por um par. OIhando para o rali atual e considerando o consenso do Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) projetado para 2018 de R$ 10,8 bilhões, a petroquímica está negociando a aproximadamente 6,5 vezes o EV/Ebitda (valor da empresa sobre sua potencial geração de caixa), o que representa um desconto para os níveis da Lyondell, que negocia a 7,2 vezes. 

"Na nossa opinião, é improvável que paguem um prêmio para os seus próprios múltiplos: 1) a Braskem ainda se beneficia de incentivos fiscais que provavelmente serão revogados no futuro; 2) o ciclo petroquímico está atualmente em um pico e os spreads devem piorar, 3) a Lyondell possui uma mistura de produtos mais rica com margens mais altas; e 4) as operações da Braskem no México sofreram alguns contratempos operacionais decorrentes do fornecimento de matéria-prima mais baixo do que o esperado da Pemex. Se considerássemos que os múltiplos da Braskem e da Lyondell negociassem no par BRKM5, as ações poderiam subir em 20%, embora consideremos que esse cenário como muito improvável", comentam.

Em Nova York, os ADRs (American Depositary Receipts) da Braskem subiam 14,72%, a US$ 33,62, indo para o melhor pregão da sua história, enquanto os papéis da LyondellBasell registravam alta de 7,00%, a US$ 105,94.

A ação da Braskem está na Carteira InfoMoney do mês de outubro (veja aqui o portfólio completo).

 

Contato