Em braskem

Com alta de 11,11%, ação da Braskem lidera os ganhos do Ibovespa na semana

Emissão internacional de bônus e sinais positivos da economia norte-americana impulsionaram os papéis da petroquímica

SÃO PAULO - As ações da Braskem (BRKM5) despontaram como a maior alta do Ibovespa nos quatro pregões entre os dias 23 a 27 de janeiro, acumulando valorização de 11,11%, fechando cotadas a R$ 15,90. No mesmo período, o benchmark da bolsa paulista subiu apenas 0,95%, fechando aos 62.909 pontos. No ano, as ações da Braskem acumulam ganhos de 24,22%.

O analista da SLW Corretora, Erick Hood, ressalta que a companhia anunciou nesta semana uma emissão de títulos em dólares no mercado norte-americano, no valor de US$ 250 milhões e com vencimento em 2021. O analista lembra que, conforme informou a demanda dessa emissão atingiu o montante de US$ 3 bilhões, cerca de 10 vezes a demanda. “Foi uma conclusão bem sucedida”, disse Hood.

No caso da Braskem, a companhia optou por uma reabertura - quando lança papéis de uma emissão já realizada - para notas seniores por meio da subsidiária Braskem Finance. Nessa operação, o investidor terá um retorno de 5,75% ao ano. Vale lembrar que a abertura dessa operação aconteceu em abril de 2011 e, na época, a Braskem captou US$ 750 milhões.

Economia dos EUA ajuda a petroquímica
O analista ressalta que o incentivo para o crescimento da economia doméstica, assim como a política de redução dos juros, impulsiona as operações da petroquímica. No cenário internacional, Hood destaca que se a crise externa não se agravar e as economias seguiram um recuperação, mesmo que lentamente, a Braskem, assim como a bolsa brasileira, pode ter um ano melhor.

"Lembrando que a Braskem tem operações nos Estados Unidos, e se os juros seguirem baixos ajudará os investimentos em produção e infraestrutrura naquele país, consequentemente aquecendo a economia e beneficando os negócios da Braskem", destaca.

Outros destaques
Outros papéis que também se destacaram positivamente foram Rossi (RSID3, R$ 9,88, +7,39%),  Brookfield (BISA3, R$ 6,30, +6,96%),  B2W (BTOW3, R$ 10,32, +6,83%),  BM&F Bovespa (BVMF3, R$ 10,89, +4,71%) e Gafisa (GFSA3, R$ 4,49, +4,18%).

 

Contato