Em bmfbovespa

Ibovespa "falha" ao tentar repique e cai pela 7ª vez em 8 dias; dólar chega a R$ 2,42

Depois de virar para alta a poucos instantes do fim, índice é novamente vencido pela onda de pessimismo do mercado; CSN dá continuidade a sequência de perdas

Ibovespa
(Divulgação)

SÃO PAULO - O Ibovespa bem que tentou evitar sua sétima queda em 8 pregões nesta segunda-feira (27), mas não conseguiu e fechou com perdas de 0,18%, a 47.701 pontos - mantendo-se na mínima desde 7 de agosto. Após marcar alta de 0,75% durante a manhã, virar para queda de tarde e voltar para o positivo na última hora do dia, o benchmark da bolsa brasileira não sustentou a trajetória positiva e foi novamente vencido pela forte onda de pessimismo do mercado com relação aos mercados emergentes.

No cenário de maior ceticismo com relação aos emergentes, vale destacar o sinal de alerta da Pimco - maior credor dos países em desenvolvimento -, que apontou um horizonte bem difícil para o Brasil, análise que acompanhou a forte queda do benchmark da bolsa na semana passada com o noticiário cada vez mais pessimista para a economia nacional. Além disso, também vale destacar a forte derrocada cambial de economias como Argentina e Turquia, com o país vizinho sofrendo desvalorização superior a 11% em sua moeda - o peso - na semana passada. A Argentina tem enfrentado graves problemas econômicos em meio à escassez das reservas na moeda americana, necessárias para o pagamento da dívida pública do país - uma das principais metas econômicas do governo da presidente Cristina Kirchner.

Além das más notícias recentes envolvendo outros emergentes, como Argentina e Turquia, o noticiário econômico brasileiro também não é nada inspirador. No Relatório Focus desta segunda-feira, o Banco Central mostrou que os profissionais do mercado seguem céticos com os indicadores macroeconômicos do Brasil, reduzindo a projeção de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para abaixo de 2% em 2014. Com relação à Selic, a expectativa aumentou de 10,75% para 11,0% até o final deste ano.

O dia também foi de perdas nas principais bolsas do mundo, com o índice acionário europeu FTSEurofirst 300 recuando 0,82% e os três principais índices de Wall Street caminhando entre os ganhos de 0,1% vistos no Dow Jones e as perdas de 0,7% do S&P 500. No noticiário norte-americano, destaque para os dados do PMI (Índice de Gerente de Compras), que apontou para uma redução do ritmo de crescimento do setor privado dos Estados Unidos. O PMI Composto - média ponderada dos índices de manufatura e serviços - ficou em 56,0 em janeiro, ante 56,1 em dezembro. Leitura acima de 50 indica expansão na atividade econômica. Chamaram atenção ainda os dados do New Home Sales, que apontaram para vendas de 414 mil moradias em dezembro, abaixo das expectativas do mercado, de 458 mil.

Também chamou a atenção nesta sessão o movimento do dólar, que superou o patamar dos R$ 2,40, dando cada vez mais sinais de que as apostas de que a divisa deve chegar aos R$ 2,50 em breve estão certas. Nesta segunda-feira, a moeda americana fechou com ganhos de 1,17%, cotada R$ 2,4260 na venda.

Destaques do pregão
Do lado da bolsa, o grande destaque ficou para a Brookfield (BISA3, R$ 1,29, +4,03%), após a companhia confirmar que está avaliando, juntamente com o seu controlador direto, alternativas estratégicas envolvendo a Brookfield Incorporações e que a realização de uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) seria uma delas.

Também na ponta de cima, mas não evitando mais um dia negativo na bolsa, apareceram as ações do setor financeiro, com Itaú (ITUB4, R$ 29,85, +2,02%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 21,43, +1,23%) liderando os ganhos dos bancos.

Já na ponta de baixo, chamaram atenção as quedas de Oi (OIBR4, R$ 4,04, -4,94%), Energias BR (ENBR3, R$ 9,30, -4,12%) e CSN (CSNA3, R$ 11,35, -3,81%), com a última dando sequência às fortes quedas vistas nos últimos dias - a empresa foi destaque de queda na semana passada e já acumula perdas de 17,03% nos últimos 7 dias.

No noticiário corporativo, além da Brookfield, destaque para a TIM (TIMP3, R$ 12,67, -1,09%), que viu a possibilidade do bilionário egípcio Naguib Sawiris, de 59 anos, fazer uma proposta pela companhia caso ela seja colocada à venda.

Enquanto isso, a Lojas Americanas (LAME4, R$ 14,90, +1,90%) reverteu as perdas de 2,65% do intraday. Vale ressaltar que a sua controlada B2W (BTOW3) aprovou na sexta-feira novo aumento de capital privado de R$ 2,38 bilhões, por parte da controladora e do fundo de investimentos norte-americano Tiger Global - numa operação que levará à venda de uma fatia de até 19% da B2W para o Tiger Global.

Segundo o comunicado da empresa, foi aprovada a emissão privada de 95,2 milhões de ações ordinárias ao preço de R$ 25 por papel. A Lojas Americanas deve injetar, ao menos, R$ 1,02 bilhão na empresa, enquanto o Tiger deve colocar de R$ 459,17 milhões a R$ 1,2 bilhão no negócio.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 OIBR4 OI PN 4,04 -4,94 +12,53 48,58M
 ENBR3 ENERGIAS BR ON 9,30 -4,12 -18,06 15,36M
 CSNA3 SID NACIONAL ON 11,35 -3,81 -21,07 76,24M
 GOLL4 GOL PN N2 10,10 -3,44 -3,63 12,21M
 SBSP3 SABESP ON 22,70 -3,40 -14,21 34,22M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BISA3 BROOKFIELD ON 1,29 +4,03 +12,17 29,86M
 ALLL3 ALL AMER LAT ON 6,64 +2,15 +1,22 30,51M
 ITSA4 ITAUSA PN 8,37 +2,07 -5,96 101,81M
 BVMF3 BMFBOVESPA ON 9,90 +2,06 -10,49 202,15M
 JBSS3 JBS ON 8,42 +2,06 -3,99 34,00M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 VALE5 VALE PNA 28,54 -0,31 383,59M 464,44M 21.733 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN 29,85 +2,02 337,04M 352,20M 25.585 
 PETR4 PETROBRAS PN 15,11 +0,07 310,87M 348,82M 29.817 
 VIVT4 TELEF BRASIL PN 45,90 -1,76 222,86M 42,79M 8.731 
 BVMF3 BMFBOVESPA ON 9,90 +2,06 202,15M 129,32M 17.728 
 BBDC4 BRADESCO PN 26,47 +0,49 178,72M 180,54M 21.386 
 PETR3 PETROBRAS ON 14,02 -0,43 141,36M 128,48M 23.670 
 BRFS3 BRF SA ON 43,41 -0,02 134,67M 122,53M 7.238 
 VALE3 VALE ON 31,12 -0,42 131,69M 153,40M 10.451 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 16,04 -2,37 121,27M 157,40M 17.939 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão) 

Dia de baixa para bolsas mundiais
No exterior, o dia foi de baixa para as principais bolsas mundiais em meio ao cenário de maior aversão ao risco com a deterioração para as perspectivas econômicas dos emergentes. Na China, um relatório revelou que o Banco Central da China suspendeu as transferências de dinheiro do banco e aumentou o temor de crise de liquidez em todo o país. Os principais mercados acionários do país repercutiram o cenário negativo e fecharam o primeiro dia de pregão da semana com perdas. O índice Shangai Composto terminou o dia com baixa de 1,03%, enquanto o Hang Seng fechou com perdas maiores em 2,11%.

Já no Japão, dados divulgados mostraram que a economia japonesa registrou um déficit comercial recorde em 2013, influenciados por uma moeda mais fraca e custos de importação mais elevado. Com isso o benchmark japonês fechou o dia com perdas de 2,5% a 15.005,73 pontos, menor patamar em dois meses, em meio à queda do dólar em relação ao iene.

Os investidores seguiram cautelosos com as perdas de sexta-feira, quando as moedas de países emergentes tiveram forte desvalorização e gerou forte aversão ao risco pelas bolsas mundiais.

 

Contato