Em bloomberg / mercados

Balanço incompreensível da GE chama a atenção de investidores

A maioria das grandes empresas americanas publica resultados ajustados que se desviam dos princípios contábeis geralmente aceitos (GAAP, na sigla em inglês), mas a GE se destaca pela complexidade desconcertante de seus relatórios trimestrais; ela é uma de apenas 21 empresas do S&P 500 que publicam mais de um número ajustado de resultados por ação

General Electric - Bloomberg
(Jason E. Miczek/Bloomberg)

(Bloomberg) -- No trimestre passado, a General Electric informou resultados de US$ 0,28 por ação. Também de US$ 0,13 por ação, US$ 0,19 por ação e US$ 0,15 por ação -- todos ao mesmo tempo.

Os números representam o lucro que inclui ou exclui certos itens, como custos de pensões e operações descontinuadas. A maioria das grandes empresas americanas publica resultados ajustados que se desviam dos princípios contábeis geralmente aceitos (GAAP, na sigla em inglês), mas a GE se destaca pela complexidade desconcertante de seus relatórios trimestrais. Ela é uma de apenas 21 empresas do S&P 500 que publicam mais de um número ajustado de resultados por ação.

Os métodos causam dores de cabeça aos investidores, que dizem que eles obscurecem o desempenho real da empresa, e forçaram um novo exame da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês). Agora, com um CEO e uma diretora financeira novos e diante de uma queda cada vez mais profunda das ações, a GE enfrenta pedidos para tornar seu balanço mais claro.

“Eles têm que melhorar a qualidade do balanço”, disse Deane Dray, analista da RBC Capital Markets. “As pessoas estão começando a questionar o que há nos resultados ajustados da GE e o que deveria haver. Os investidores não estão satisfeitos com os relatórios anteriores, então isso tem que mudar.”

A GE está procurando recuperar a confiança dos investidores porque neste ano as ações de primeira linha caíram para o pior desempenho no Dow Jones Industrial Average. John Flannery, que se tornou CEO em agosto, disse que ele considerará todas as opções para solucionar os problemas, que abrangem de um fluxo de caixa fraco até a lentidão dos mercados de petróleo e eletricidade. Na semana passada, ele deu as boas-vindas no conselho da GE a um representante da empresa de investimento ativista Trian Fund Management.

Números

A GE, que publicará seus resultados para o terceiro trimestre na sexta-feira, informa até quatro valores de lucros por ação, entre eles GAAP e valores ajustados. Desde 2015, quando ela anunciou um plano para vender US$ 200 bilhões em unidades financeiras, a GE prefere uma métrica conhecida como lucros por ação “industriais operativos + verticais”, que exclui o desempenho de divisões no bloco de venda.

A GE usa números ajustados para destacar itens que “podem ser controlados pela gestão” e refletem operações constantes, afirmou a empresa com sede em Boston em um comunicado.

Os reguladores já perceberam. Em maio de 2016, a SEC emitiu diretrizes para o uso e a apresentação de métricas que não usam os GAAP. A agência também se mostrou mais agressiva ao contatar empresas que poderiam estar infringindo as normas.

Em uma carta enviada à GE em junho de 2016, um funcionário da SEC disse que o uso inconsistente de rótulos de lucros por ação feito pela empresa na apresentação do seu relatório 10-K “não parece adequado”. A SEC voltou a pedir à GE que esclareça vários valores fora dos GAAP em uma carta enviada neste ano, que foi divulgada em 28 de setembro.

Versão em português: Patricia Xavier em Sao Paulo, pbernardino1@bloomberg.net.

Repórter da matéria original: Richard Clough em N York, rclough9@bloomberg.net.

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Brendan Case, bcase4@bloomberg.net, Mark Schoifet, Tony Robinson

©2017 Bloomberg L.P.

 

Contato