Em bloomberg / mercados

Para Goldman Sachs, real está sobrevalorizado e dólar baterá R$ 3,00 até o final do ano

Instituição financeira avalia que taxa Selic teria que subir para 15% ou mais para a inflação convergir para 4,5% em 2016

dollar - bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - O Goldman Sachs afirmou hoje por meio de relatório que o real está claramente valorizado e sinalizou que a moeda brasileira pode chegar a R$ 3,00 até o final de 2015. 

“Nossa análise sugere que com base, na nossa previsão de dólar a R$ 2,95-R$ 3,00 até o final do ano (e não R$ 2,55 como o considerado no relatório trimestral de inflação), e com um coeficiente de pass-through de 5% a 6%, Selic teria que subir para 15% ou mais para inflação convergir para 4,5% em 2016”, avaliou a instituição financeira.

Para próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o Goldman Sachs prevê alta de 0,50 ponto porcentual da taxa básica de juros. No relatório, a instituição financeira indica que a expectativa é que a Selic atinja entre 12,50% e 13% em 2015, com risco de a autoridade monetária ter de fazer mais no curto prazo com o objetivo de entregar a inflação na meta em 2016.

Ainda de acordo com o Goldman Sachs, o nível final da taxa deve, provalvemente, ser determinado pelo comportamento do dólar em relação ao real nos próximos meses e pelo suporte rápido, crível e significativo que a autoridade monetária acabar recebendo da política fiscal.

O novo compromisso com a meta de 4,5% é um fato bem-vindo, particularmente, diante do fato de que as expectativas de inflação no curto e médio prazos estão desalinhadas da meta, concluiu o Goldman Sachs.

 

Contato