Ofensiva saudita contra o Iêmen turbina petróleo. No Brasil, desemprego em forte alta.

O ataque dos países da OPEP ao pequeno Iêmen acelerou o movimento de alta do barril do petróleo, que superou a marca dos US$ 50. Comemoram os produtores de Xisto nos EUA e os invasores, que contarão com resistência baixa, já que o invadido é um país miserável, com renda per capita de US$ 1,4 mil. A tensão global aumenta, já que o Irã protesta veemente contra a invasão do país, cuja população xiita estava expulsando o presidente, apoiado pelos sauditas. No Brasil o desemprego surpreendeu e bateu 5,9% em fevereiro, sinalizando que o mercado de trabalho está piorando junto com a economia.
Blog por Pedro Paulo Silveira  

A decisão da Arábia Saudita de bombardear alvos selecionados no Iemên causou enorme tensão nos mercados globais. O Iemên localiza-se em região de passagem de enormes quantidades de petróleo, seja por mar (o estreito de Bar-el-Mandeb tem 18 km e separa o mar vermelho do mar arábico, bem como o continente africano do continente asiático), seja por oleodutos, totalizando cerca de 3,8 milhões de barris por dia. Veja o mapa da região:

 

Participam do ataque Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Jordânia, Catar, Paquistão, Marrocos e Egito, supostamente a pedido do presidente deposto Abdu Rabu Mansour Radi. Ele quer retomar o controle, após os xiitas Houthis liderarem uma revolta contra o governo e colocarem o presidente a fugir do país. Apesar de produzir apenas 130 mil barris de petróleo por dia, o Iêmen tem importância estratégica por ser capaz de interromper o transporte de petróleo entre as regiões mais orientais e as ocidentais pelo canal de Suez. E é com essa “desculpa” que o presidente deposto e seus aliados justificam a nova carnificina; alegam que os Houthis são muito próximos aos xiitas iranianos e que o caos pode ser instalado no país, dando margem a que se torne base de piratas internacionais, tal como a Etiópia. Vale notar que o PIB do Iêmen é de US$ 36 bilhões, sua população é de 24,4 milhões de pessoas. A renda per capita é de US$ 1,4 mil e a expectativa de vida é de 63 anos, abaixo da expectativa dos países de baixa renda (66 anos) e da expectativa dos países do Oriente Médio e Norte da África (71 anos). Os iranianos estão reagindo de forma contundente ao ataque. Seria uma enorme inferência da “teoria de conspirações” dizer que esse ataque a um país tão miserável e absolutamente indefeso, feito por grandes produtores de petróleo, serviu, ao menos, para puxar em mais de 10% os preços do barril, que vivia um enorme marasmo. Mas é pouco crível que países tão incompetentes para lidar com uma ameaça muito maior como o ISIS, venham agora a se sensibilizar com a segurança do transporte marítimo no estreito de Bar-el-Mandeb. A tensão tende a aumentar a depender da reação do xiita Irã.

No Brasil foi divulgado o desemprego de fevereiro e ele confirma o que esperávamos: está subindo e pode marcar patamares desconfortavelmente elevados. Segundo a AE-Broadcast a mediana das expectativas estava em 5,7% e o desemprego veio acima, em 5.9%. a evolução da taxa segue a tendência já assinalada pelo CAGED, com a redução ou perda de empregos com carteira assinada, veja o gráfico abaixo:

 

O desemprego demorou a reagir e agora devemos assistir à alta contínua desse flagelo social, que pode chegar aos 8% no fim do ano. A Renda dos Trabalhadores também mostra que está se ressentindo do quadro econômico ruim e parou de crescer, veja o gráfico:

 

 

A renda, em fevereiro, ficou abaixo da média de seis meses, indicando queda forte. A minha expectativa é de que o desemprego continue a subir, resultado da deterioração das condições econômicas resultantes do aperto fiscal,  da operação  lava a jato, da redução do crédito e da queda dos investimentos.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

Economista pela FEA-USP, CNPI, atua no mercado financeiro desde 1983 e hoje exerce funções de análise econômica e de valores mobiliários. pepa2906@gmail.com