Começo de 2015 no vermelho

A falta de confiança na possibilidade de uma ação efetiva do BCE jogou os mercados para baixo hoje. O famoso "whatever it takes", dito por Mario Draghi em 2012, já cai na desconfiança dos agentes e impede uma melhora dos mercados de dívida, moedas e de ações. Aqui no Brasil o Inquérito Administrativo anunciado pela CVM, para investigas as responsabilidades dos administradores da Petrobrás no eventos ocorridos no Âmbito da Lava a Jato e de seus desdobramentos, empurrou o mercado um pouco mais para baixo.
Blog por Pedro Paulo Silveira  

O ano começa no  vermelho para as bolsas e para as expectativas. As produções industriais de vários países e continentes, medidas pela empresa inglesa Markit, através do PMI, apresentaram queda ou pouca expansão. Apesar do tímido otimismo em relação à possibilidade de um novo pacote de estímulos na China, o mercado desabou. Na Europa, porque as promessas de do presidente do Banco Central Europeu de um novo pacote não convencem mais ninguém. Ele vem prometendo fazer o quer necessário (“whatever it takes”, dito em 2012) mas não encontra os meios para convencer a cúpula política europeia que ainda insiste em manter a política econômica apenas na base da austeridade econômica. A Bloomberg notícia em sua página: “Draghi Prepares to Act Against Risk of Deflation”. Mas essa é a novella que se repete há três anos. Se nada for feito, o mundo pode derreter um pouco mais.

Nos EUA saíram dados mais fracos da produção industrial e essa foi a base para um sell-off de início de ano. Veja o gráfico do índice de gerentes de compras, que é um indicador de produção industrial:

Ele esperado em 57,5, para dezembro, e veio em 55,5. Ainda que alto, veio abaixo do esperado, em um momento em que se espera um tropeço na atividade dos EUA, em função do inverno novamente severo. Piorando o quadro, o mercado resolver bater um pouco mais no petróleo:

 

A queda de hoje reflete a continuidade dos problemas em relação às perspectivas de produção e demanda globais, os consequentes desequilíbrios cambiais e a decorrente piora da perspectiva para as matérias primas.

 

No Brasil piorou o quadro a CVM ter anunciado que instaurou Inquérito Administrativo contra os administradores da Petrobrás, em decorrência das investigações da Lava a Jato e seus desdobramentos. A petroleira amarga mais uma perda de mais de 5% e arrasta consigo o resto do mercado. O real chegou a ser negociado acima da R$ 2,70 mais cedeu um pouco. Para o primeiro dia do ano, pouca liquidez, mal humor e notícias ruins foram o pacote para mais queda dos mercados locais. 

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

Economista pela FEA-USP, CNPI, atua no mercado financeiro desde 1983 e hoje exerce funções de análise econômica e de valores mobiliários. pepa2906@gmail.com