5 atitudes inadmissíveis para um investidor

Tão ou mais importante quanto uma técnica de análise são os aspectos emocionais do indivíduo quando está envolvido numa operação financeira. Conheça e evite 5 falhas comportamentais inadmissíveis para um investidor.
Blog por Caio Sasaki  

A bolsa de valores é um universo incrível, tanto do ponto de vista fenomenológico como pelo aspecto prático que ela apresenta, afinal se tentamos surfar as ondas do mercado, é para fazer nosso dinheiro render mais do que na famigerada poupança, não é mesmo? E quem se interessa de verdade por este mercado não tarda a buscar orientações e cursos para tomar suas decisões por conta própria!

Fato é que logo nos primeiros passos, mesmo após algum curso de análise técnica, é absolutamente comum tomar alguns tombos e efetuar algumas operações mal sucedidas. Aliás, este acontecimento é uma parte inevitável, e mesmo os mais experientes tomam decisões que não geram frutos. E mesmo depois de algum alinhamento técnico ainda leva um tempo para que o investidor perceba que tão ou mais importante quanto uma técnica de análise são os aspectos emocionais do indivíduo quando está envolvido numa operação financeira. E por mais afiada que seja a sua técnica, existem alguns pontos essenciais que jamais podem ser violados:

  • Confiar cegamente nas análises – A análise está tão bem feita que poderia, perfeitamente, ilustrar o exemplo num livro. Além disso, a tendência está a favor, as notícias políticas e macro condizem com a estratégia e, por isto, não tem como dar errado. Ledo engano, sempre tem como dar errado! Por isso, todo investidor deve traçar o plano B, caso sua estratégia dê errada.
  • Partir para o tudo ou nada – A semana está péssima! Foram 5 operações mal sucedidas que, somadas, causam desconforto suficiente para inibir uma noite de sono saudável. Mas eis que surge uma esperança: aquela estratégia infalível está dando sinal de entrada e, entrando  5 vezes maior que o de costume, dá para recuperar as perdas recentes. Só tem um problema. Se operação não correr bem, a perda também será 5 vezes maior e uma noite de sono mal dormida se transformará numa semana inteira mal dormida, no mínimo!
  • Se gabar dos ganhos e omitir as perdas – “Comprei na mínima, vendi na máxima”. Este deve ser o tipo de frase mais citada nos fóruns de traders e investidores. E não há nada de condenável nisto, pois massagear o próprio ego faz bem a qualquer um. Porém, muitos investidores lembram das cachaças que tomam, mas nunca dos tombos que levam, e são justamente os tombos que ensinam preciosas lições. Quando criança os tombos ensinam a correr e pedalar com mais cautela, e para o investidor ensinam a respeitar o mercado e não abusar da displicência.
  • Ter coragem na perda e medo nos ganhos – Perder dinheiro é tão desconfortável que muitos investidores se agarram em suas operações perdedoras esperando que elas fiquem positivas, ou neutras, ou ainda, na pior das hipóteses, com um prejuízo menor possível. Estes mesmos investidores são aqueles que, assim que a operação entra no positivo, colocam o lucro no bolso, mesmo que seja pequeno, antes de atingir o objetivo pretendido inicialmente. Pena que quem se porta como um leão nas perdas e um gatinho nos ganhos não goza de bons ganhos no mercado de investimentos.
  • Delegar seu erro – a operação acaba de ser encerrada no prejuízo. O analista deve ter bebido todas para ter feito uma recomendação tão ruim! Além disso, o home broker da instituição é um fiasco e não executou a ordem no tempo e preço exato, o que, somado ao fato do cachorro do vizinho ter latido no momento da execução, afetou a concentração para mandar a ordem. E para piorar tinha um trader manipulando o mercado só para afetar o investidor pessoa física (e por aí vão as lamentações)! Para quem não está preparado para assumir perdas no mercado de renda variável, até a própria sombra pode ser responsabilizada pelas perdas financeiras.

Estas são apenas algumas das muitas armadilhas psicológicas no processo de investir por conta própria e não é a toa que muitos cursos já incluem o este tema em seu conteúdo. Portanto, o investidor precisa atentar para seu autoconhecimento, pois somente assim terá condições de superar seu maior adversário no mercado: ele mesmo.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É trader, formado em Física pela USP e chegou a fazer mais de 300 operações por dia na Nasdaq e na Bolsa de Nova York. Foi estrategista em instituições como Citibank, Interfloat e XP Investimentos e hoje dedica parte de seu tempo para formar traders independentes. contato@sasakitraders.com.br