O "presente extra" de R$ 189 mi que uma das vencedoras da bolsa deve dar aos acionistas ainda este ano

Gol anunciou proposta de reorganização societária da Smiles com a incorporação da Webjet Participações - o que deve gerar economia fiscal e aumentar periodicidade dos dividendos de uma das melhores ações da bolsa em 2017
Blog por Lara Rizério  

SÃO PAULO - Uma boa ação para quem gosta de dividendos e um case seguro em meio à forte crise política que assola (novamente) o Brasil. É esta a avaliação que o mercado faz da Smiles (SMLE3), que teve um primeiro trimestre de 2017 bastante memorável e apresentou resultados sólidos no período - uma das maiores altas da B3 no ano com ganhos acumulados de 55%.

E, na noite da última quinta-feira, a sua controladora, a Gol (GOLL4), fez um anúncio que pode representar mais um "presente" para os acionistas da empresa. A companhia aérea fez uma proposta para que a sua também controlada Webjet incorpore a Smiles, o que pode levar a uma enorme vantagem fiscal para a empresa de fidelidades - e ainda engordar os dividendos para os acionistas.

A Webjet, adquirida pela Gol em 2011, deixou de voar em 2013 e possui um grande prejuízo acumulado; assim, através da operação de reorganização societária, a Smiles pode se beneficiar por parte dos prejuízos fiscais de R$ 557 milhões acumulados pela Webjet.

Receba os "Insights do Dia" direto no seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se.

Desse valor, 34% serão utilizados, totalizando R$ 189 milhões que serão reconhecidos como um lucro extraordinário imediatamente após a aprovação, o que pode ocorrer no início do terceiro trimestre de 2017, que podem ser distribuídos totalmente pela empresa.  

Conforme destacou o analista da XP Investimentos Marco Saravalle no programa XP Connection (veja o programa completo no vídeo acima), antes do anúncio, a companhia oferecia um dividend yield de cerca de 8% para os seus acionistas. Já após o anúncio, além da mudança do código de listagem na bolsa (vale destacar que os atuais acionistas terão direito à mesma quantidade das novas ações), a reestruturação poderá levar a um aumento na periodicidade de distribuição de dividendos para trimestral. A distribuição referente a essa operação deve ocorrer em agosto e, se for integral, o dividend yield (dividendos por ação esperados / preço da ação adicional) seria de cerca de 2,5%, totalizando um dividend yield superior a 10%. 

O Credit Suisse destaca ainda que a transação permitirá à Smiles reduzir  as despesas de imposto de renda em 30% nos próximos dois anos (valor presente líquido de R$ 1,40 por ação, ou 2,2% de potencial de valorização). Além disso, apontam os analistas do banco suíço, a noticia também é positiva para a Gol, já que ela não estava usando os prejuízos fiscais com a Webjet em seu balanço. 

Com essa mudança no radar, vale prestar atenção às datas. A operação depende de aprovação dos acionistas, que votarão em assembleia agendada para dia 30 de junho. Caso aprovada, todos os registros atuais da empresa serão imediatamente cancelados e serão replicados em uma nova razão social: a Smiles Fidelidade. Desta forma, para quem é acionista, o que muda, além do nome, é a distribuição extraordinária de dividendos, que deve ocorrer entre agosto e setembro deste ano. Ou seja, aponta o analista da XP, ainda dá tempo para entrar na ação e aproveitar esse valor extraordinária após a operação. 

Muito além dos dividendos...
Além dessa operação representar um bom potencial para os dividendos e economia fiscal, destaque ainda para os ótimos números da companhia, com perspectiva de revisão dos números para cima em meio aos dados muito fortes revelados pela empresa no final de abril, aponta a XP. Entre os números de destaque e, o lucro líquido cresceu 32% no primeiro trimestre, o Ebitda cresceu quase 46% e a receita teve alta de 26%. "O crescimento de lucro está consistente, a empresa não precisa de muitos investimentos e vem surpreendendo o mercado em termos de expectativas", aponta o analista Marco Saravalle.  

Em suma, Saravalle ressalta que, para frente, a companhia será mais eficiente do ponto de vista fiscal e pode distribuir recorrentemente mais dividendos. "Esse papel gera uma forte distribuição de dividendos e forte potencial de dividendos, que deve entregar ótimos resultados nos próximos períodos, equilibrando tanto crescimento como previsibilidade". afirma.

Assim, a avaliação do analista é de que essa ação entra no radar como uma das melhores ações para se ter em um momento tão turbulento, com as questões políticas contaminando os investimentos sobre Bolsa. E o anúncio da noite de ontem só reforça esse cenário, conforme apontam os analistas. Enquanto a XP possui a Smiles na carteira top pick, Itaú BBA, Credit Suisse e BTG Pactual possuem recomendação equivalente à compra para os ativos, apontando que, além do cenário de curto prazo com os dividendos, a Smiles apresenta bons fundamentos para os investidores com foco no longo prazo . 

 Gostou desta análise? Clique aqui e receba-as direto em seu e-mail!

Deixe seu comentário

Perfil do autor

É editor de Mercados do InfoMoney e analista CNPI-P (analista técnico e fundamentalista, certificado pela Apimec). Trabalha há 6 anos no InfoMoney. Graduou-se em Administração de Empresas pelo Mackenzie, já acompanhou mais de 200 horas de cursos sobre mercados de ações. Possui MBA em Mercado de Capitais pela Fipecafi e MBA de Mercados Financeiros para Jornalistas pela UBS/BM&FBovespa. thiago.salomao@infomoney.com.br