Como navegar em meio à turbulência? BofA apresenta ações para investir em 3 cenários

Os três cenários apontados pelo BofA são bearish, um cenário médio e o bullish 
Blog por Lara Rizério  

SÃO PAULO - Após semanas de fortíssimas emoções, a poeira baixou na crise política brasileira em meio à delação da JBS (JBSS3). Mas isso não quer dizer que haja definições: muitas incertezas rondam o mercado brasileiro, principalmente sobre se o presidente Michel Temer seguirá na presidência com forte ou fraco apoio do Congresso para fazer as reformas ou, se cair, quem será o seu sucessor (isso dependerá também se haverá eleições diretas ou indiretas).

Com isso, analistas e economistas do Bank of America Merrill Lynch tentaram traçar, em relatório divulgado na última sexta-feira, quais cenários são possíveis e em quais papéis investir em cada um deles. 

Receba os "Insights do Dia" direto no seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se.

"O cenário político no Brasil permanece altamente incerto no curto prazo. A recente turbulência aumentou o risco de atrasos na aprovação da reforma da Previdência, um dos principais pilares da nossa narrativa de alta das ações do Brasil", avaliam os estrategistas. Eles citam o economista para o Brasil do banco, David Beker, que ressalta que o otimismo para a recuperação econômica, menores taxas de juros estruturais e melhoria da dinâmica fiscal baseiam-se no progresso da agenda de reformas. "Qualquer atraso provavelmente inverterá os indicadores de confiança e atenuará a frágil recuperação econômica. Ao menos, pensamos que o pano de fundo político incerto deve aumentar a volatilidade do mercado que, até agora, tem sido relativamente moderada", afirmam.

É curioso apontar que cada cenário não cita se Temer seguirá no poder ou não, e sim como se dará o equilíbrio político, sinalização já feita por alguns economistas de que há sim futuro sem Temer no poder (confira mais clicando aqui). Porém, eles apontam que, no curto prazo, o próximo dia 6 de junho será bastante importante para decidir o futuro do País, com o julgamento no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) da chapa vencedora da eleição de 2014 Dilma Rousseff-Michel Temer. 

Os três cenários apontados pelo BofA são bearish (negativo, sem equilíbrio político e sem reformas), um cenário médio (equilíbrio político estável, mas com avanço apenas modesto nas reformas) e o bullish (otimista, com alta probabilidade de aprovação da agenda reformista). Isso tem impacto nos juros, crescimento do PIB, inflação, taxa de juros, CDS e Ibovespa, como apresentado no quadro abaixo:

Expectativa para o fim de 2017 Cenário atual Pessimista Médio  Otimista
Câmbio (R$/US$) 3,27 4,00 3,40 3,00
PIB (2017/2018)%   -0,5/-1 0,5/1,5 1,0/3,5
Inflação (2017/2018)%   4,5/5,25 4,0/4,4 3,9/4,2
Selic 11,25 10,25 9,00 7,50
Taxa de juros de 10 anos 5,72 7 6 5
CDS de 5 anos 236 350 250 190
Ibovespa   48.000 58.000 75.000

As ações que podem ter um bom desempenho em cada cenário
Neste sentido, os estrategistas apontaram quais ações podem ter boa performance baseados em alavancagem e liquidez, exposição ao crescimento interno, riscos de moeda, beta de mercado e possuem recomendação de compra pelos analistas fundamentalistas do BofA. 

"A maioria das ações em nosso cenário de baixa tem pouca exposição ao crescimento econômico doméstico, beneficiam-se da queda do real e se caracterizam por mostrarem balanços saudáveis. As ações em nosso cenário de alta são mais altamente alavancadas - beneficiando de um ciclo de queda dos juros mais rápido - e possuem beta mais alto. Finalmente, no cenário intermediário, incluímos aquelas empresas que acreditamos que devem se comportar bem mesmo com uma recuperação econômica modesta", afirmam. Segue abaixo:

  1. 1. Cenário "bearish"
    Neste cenário, não há equilíbrio político, as reformas são empurradas até depois das eleições de 2018, o choque de confiança leva a uma recessão e o real mais fraco interrompe o ciclo de queda mais forte de juros. As ações para investir nesse cenário são:
  2. Companhia  Ticker
    BB Seguridade BBSE3
    BRF BRFS3
    Braskem BRKM5
    Construtora Tenda TEND3
    Embraer EMBR3
    Fibria FIBR3
    Fleury FLRY3
    Hypermarcas HYPE3
    Minerva BEEF3
    MRV Engenharia MRVE3
    Qualicorp QUAL3
    São Martinho  SMTO3
    Suzano SUZB5
    Taesa TAEE11
    Telefônica VIVT4
    Vale ON VALE3
    WEG WEGE3

2. Cenário intermediário
Neste cenário, o equilíbrio político é estável. O governo centrista continua a fazer algum progresso no Congresso, mas sem grandes reformas. A expectativa é de melhoras modesta no front macroeconômico. As ações para investir nesse cenário são:

Companhia  Ticker
B3 BVMF3
BRF BRFS3
Construtora Tenda TEND3
Cosan CSAN3
Ecorodovias ECOR3
Equatorial EQTL3
Fibria FIBR3
Iochpe-Maxion MYPK3
Itaú Unibanco ITUB4
Kroton KROT3
MRV Engenharia MRVE3
Rumo RUMO3
Suzano SUZB5
Telefônica Brasil  VIVT4
Usiminas  USIM5

 

3. Cenário Bullish
O cenário aponta para forte equilíbrio político. Há neste ambiente uma maior probabilidade de aprovar a agenda de reformas, trazendo um choque de confiança positivo. Há uma ponte centrista clara para as eleições de 2018. As ações para investir nesse cenário são estas, segundo o BofA:

Companhia  Ticker
Banco do Brasil BBAS3
B3 BVMF3
BRF BRFS3
Cemig CMIG4
Cosan CSAN3
Cyrela CYRE3
Duratex DTEX3
Even EVEN3
Iguatemi IGTA3
Localiza RENT3
Lojas Renner LREN3
RD RADL3
Rumo RAIL3
Smiles SMLE3
TIM Participações TIMP3
Usiminas USIM5

 Gostou desta análise? Clique aqui e receba-as direto em seu e-mail!

Deixe seu comentário

Perfil do autor

É editor de Mercados do InfoMoney e analista CNPI-P (analista técnico e fundamentalista, certificado pela Apimec). Trabalha há 6 anos no InfoMoney. Graduou-se em Administração de Empresas pelo Mackenzie, já acompanhou mais de 200 horas de cursos sobre mercados de ações. Possui MBA em Mercado de Capitais pela Fipecafi e MBA de Mercados Financeiros para Jornalistas pela UBS/BM&FBovespa. thiago.salomao@infomoney.com.br