Blog InfoMoney

Máxima Performance

Em blogs / investimentos / maxima-performance

Novo Comparador de Fundos de Investimentos Gratuito

Novo comparador de fundos apresenta informações inéditas, atualizadas e intuitivas sobre mais de 25 mil fundos de investimentos registrados no Brasil.

Gráfico
(Shutterstock)

Apesar da volatilidade atual do mercado financeiro, é indiscutível a velocidade da migração de investimentos que as taxas de juros em sua mínima histórica produziram.

São mais de R$ 61 bilhões em novos aportes em Fundos de Investimentos em 2018 só até Abril, de acordo com a ANBIMA.

E isso não vem acontecendo por acaso.

Afinal, enquanto investimentos comuns como a caderneta de poupança e a renda fixa mal tem entregado rendimentos que mal cobrem a meta de  inflação do Banco Central, alguns fundos conseguiram atingir resultados de mais que o dobro disso nos últimos meses.

Sim, estou falando de grandes e renomadas casas de gestão que estão entregando performance de mais de 200% do CDI nos últimos 12 meses.

No entanto, a grande dificuldade continua sendo identificar e escolher qual fundo você deverá investir o seu dinheiro.

Por isso, acabamos de lançar uma ferramenta inédita de Comparação de Fundos de Investimentos desenvolvida pelo Mais Retorno, totalmente gratuita e atualizada diariamente para te ajudar nessa tarefa.

Nela você conseguirá ver e comparar indicadores como a rentabilidade histórica de qualquer fundo registrado no Brasil, informações sobre seu patrimônio, volatilidade, cotistas e até algumas estatísticas básicas muito úteis.

Mas, como costumo dizer, apenas os dados crus sem uma boa interpretação podem não te ajudar muito a chegar a uma conclusão definitiva.

Portanto, para te ajudar a extrair o potencial máximo dessa nova ferramenta, preparei também um breve guia com 10 dicas sobre como comparar fundos de investimentos e escolher o ideal para sua carteira.

Confira a seguir:

1. Compare fundos do mesmo tipo/categoria

comparar-fundos-mesmo-tipo

Um dos erros mais comuns que vejo investidores cometerem é querer comparar fundos com propostas completamente diferentes e por isso resolvi começar o guia abordando essa questão.

Por mais que o Alaska Black tenha uma rentabilidade muito maior que o Sparta Top no longo prazo, não faz menor sentido você trocar um por outro.

Afinal, se você investisse no Sparta Top eu suponho que não estivesse disposto a correr os riscos e a altíssima volatilidade do Alaska Black.

Apesar de eu estar citando dois exemplos extremos aqui, vale a mesma regra para qualquer outro tipo de fundo que você se propuser a comparar.

Ou seja, compare fundos Macro com fundos Macro, fundos Long & Short com fundos Long & Short, fundos Long Biased com fundos Long Biased e assim por diante.

Ser honesto consigo mesmo vai te salvar de entrar em furadas que não estejam de acordo seus objetivos em prol único e exclusivo da "rentabilidade maior".

Resumindo: Tenha uma carteira diversificada com diferentes tipos de fundos, mas na hora de escolher compare sempre os semelhantes.

 

2. Compare as rentabilidades

comparacao-rentabilidade-fundos

É verdade que a rentabilidade dos fundos não é tudo, mas é claro que é muita coisa!

Mesmo assim, é importante que você avalie a rentabilidade da forma correta quando estiver comparando fundos. Para fazer isso direito, isso vale a pena considerar quatro regrinhas básicas:

A rentabilidade absoluta é importante, mas não quer dizer muita coisa em um olhar simplista. Compare como o fundo manteve o desempenho dele ao longo do tempo. Afinal ele pode estar indo bem agora, mas ter passado um bom tempo sofrendo no mercado. Ou ter ido muito bem no começo e depois só acompanhar o CDI. Por isso na hora de comparar veja o desempenho para 6, 12, 24 e 36 meses desse fundo.

Dê um peso um pouco maior para os períodos recentes. Portanto se um fundo tem um retorno maravilhoso nos últimos 3 anos, mas vem patinando nos últimos 12 meses, pode ser que ele esteja passando por problemas de gestão ou estratégia e talvez não seja uma boa escolha.

O benchmark é imperativo! Portanto se qualquer fundo da comparação não fizer o mínimo que é superar seu índice de referência, seja o CDI, o Ibovespa, o IMA-B ou qualquer outro, já pode cortar ele fora da lista.

O mais óbvio de todos, mas que vale ser citado: veja qual fundo melhor desempenhou para o período total comparado.

Seguindo essas quatro regras você já terá um ótimo parâmetro para definir o fundo com o melhor retorno para sua carteira.

Resumindo: A rentabilidade é importantíssima, desde que você a avalie corretamente. Seguindo os 4 pontos desse tópico você terá uma boa direção de como fazer isso.

 

3. Atenção ao período avaliado

comparacao-rentabilidade-fundos-periodo

Em geral o melhor período para se comparar fundos é o que costumamos chamar de "ótimo", ou seja, aquelas datas em que todos os fundos estejam em atividade simultaneamente.

Portanto sempre que possível tente comparar diferentes fundos em períodos iguais ou menores que o ótimo, mas nunca períodos maiores.

Afinal, caso escolha comparar uma lista de fundos em um período no qual algum deles ainda não estivesse em atividade, você terá uma dificuldade bem maior para tirar conclusões das informações que visualizar.

Existe ainda mais um cuidado importante: se você comparar um fundo muito antigo com um fundo que acabou de iniciar suas operações, poderá ter uma impressão errada. Isso porque como o fundo novo teria pouco histórico de comparação, você poderia se iludir por um eventual bom resultado de curto prazo que não fosse mais que pura e simples sorte do gestor.

Portanto se tiver que comparar fundos num período menor que 12 meses, tenha uma cautela redobrada em relação ao fundo iniciante e leve isso em consideração na hora da sua decisão final.

Resumindo: Sempre que possível compare um período ótimo para todos os fundos, ou pelo menos um período mais recente que esse. Quando os fundos tiverem um período menor que 12 meses para comparar, tenha um cuidado extra nas suas conclusões.

 

4. Compare estatísticas básicas dos fundos

como-comparar-fundos-estatisticas-basicas

Talvez o item mais objetivo, direto e totalmente intuitivo da lista seja a comparação das estatísticas básicas.

Afinal, basta dar um crédito maior aos fundos que tiverem uma maior proporção de meses positivos que negativos e vencerem mais vezes seu benchmark (seja o CDI ou o Ibov).

No exemplo acima, apesar de o BB Multimercado Macro ter o melhor resultado em meses positivos (com 93% das vezes), o XP Macro foi o que teve melhor desempenho em relação ao seu benchmark (superando o CDI em 71% das vezes).

Os fundos que tiverem o maior retorno em um mês fechado são bons, mas mais importante ainda são os fundos que tiverem o menor prejuízo em um único mês. Assim você sabe quais fundos da comparação deve ter mais cuidado (como no caso do Gávea Macro na imagem acima).

Por fim, é sempre bom avaliar o tamanho dos fundos tanto em tamanho de Patrimônio Líquido (PL) como em quantidade de cotistas.

Fundos muito pequenos podem indicar tanto que são opção de poucos investidores, como que a gestora talvez tenha uma estrutura bem mais simples que suas concorrentes. Isso não é um fator eliminatório, mas vale um cuidado maior em relação a gestoras e fundos muito pequenos.

Resumindo: Na dúvida, opte pelos fundos que proporcionalmente tiveram mais meses positivos que negativos, venceram mais vezes seu benchmark. Tome cuidado com fundos que tiveram grandes perdas em um único mês e que tenham um PL e quantidade de cotistas relativamente pequena.

 

5. Compare a Volatilidade e escolha a mais adequada ao seu perfil

como-comparar-fundos-volatilidade

Quem já conhece o Mais Retorno há algum tempo sabe o quanto batemos na tecla da importância de investir seu dinheiro de acordo com o seu perfil de risco.

Tanto que desenvolvemos um teste exclusivo e inédito sobre isso, no qual desvendamos seu perfil de uma forma muito mais fluida e realista em menos de 2 minutos. E no final ainda enviamos um presente direto no seu e-mail. Se ainda não fez nosso teste recomendo fortemente que o faça clicando aqui.

Uma vez que você conheça seu perfil de risco como investidor, avaliar a Volatilidade dos fundos é algo primordial!

Afinal, esse é um dos indicadores mais comuns e fáceis de se usar como medida de risco.

Portanto, por mais que um fundo tenha uma rentabilidade maravilhosa com um desenho lindo no gráfico, se você tiver um perfil conservador e o fundo uma grande volatilidade, prefira ficar de fora.

Não são poucas as histórias de frustração que ouvimos sobre investidores que foram guiados pela ganância contra seus instintos e se arrependeram amargamente.

Para te ajudar a saber se um fundo é arriscado demais pra você ou não, você pode tomar como base aproximada os números abaixo:

  • Volatilidade baixa (conservador): até 2%
    Volatilidade média (moderado): de 2% até 4%
    Volatilidade média-alta (arrojado): de 4% até 8%
    Volatilidade alta (agressivo): acima de 8%

Vale ressaltar que volatilidade alta não é algo necessariamente ruim! Isso vai depender do seu perfil de risco. Portanto se você tiver um perfil agressivo e quiser buscar oportunidades com grande potencial de valorização, a volatilidade alta provavelmente será sua companheira de viagem.

Resumindo: Compare sempre a volatilidade dos fundos e escolha aquele que melhor se adequar ao seu perfil.

 

Continue lendo

Que tal até aqui? Espero estar expandindo seu conhecimento sobre fundos de investimentos!

Mas isso não é tudo!

Existem ainda mais 5 dicas que vão te ajudar a comparar e escolher os melhores fundos de investimentos, além de um bônus no final.

Por isso, se você está já está gostando do que viu até aqui, continue lendo a versão completa de como comparar fundos de investimentos lá no Mais Retorno.

Se ficou com alguma dúvida ou quiser compartilhar alguma experiência própria sua com fundos, comente aqui abaixo.

Bons investimentos!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

 

perfil do autor

InfoMoney Blogs

contato@
maisretorno.com

Felipe Medeiros

Economista e fundador do site Mais Retorno, também foi um dos criadores dos sites Bolsa Financeira e Melhores Fundos e de outras fintechs ao longo dos últimos 10 anos. Tem como objetivo compartilhar suas experiências e se conectar com outros investidores e entusiastas do mercado.

Contato