Os fundos e suas estrelas

Entenda a metodologia usada para premiar fundos de investimentos e como isso pode ajuda-lo na hora de escolher seu investimento.
Blog por Livia Mansur  

Ouço muito clientes reclamarem que a indústria de fundos de investimentos é muito grande e complexa, e que escolher o melhor produto dentre tantos é uma tarefa muito difícil. Afinal, todo mundo já sabe que não basta olhar o fundo que rendeu mais, precisa entender a relação retorno X risco do produto. Essa medida serve para colocar 2 fundos com níveis de risco diferentes em um mesmo patamar de comparação. Isto é, para uma mesma unidade de risco, o quanto um produto e outro estão gerando de retorno. Por isso, gostaria de destacar que o final do ano costuma trazer muitas publicações com premiações dos melhores fundos da indústria. Vale ficar de olho!

Em 1985 a Morningstar, empresa independente de análise de fundos, introduziu pela primeira vez no mercado o conceito de retorno ajustado a risco e retorno para facilitar a comparação entre fundos com riscos e custos diferentes. Em 1996, lançaram sua categorização por estrelas (de 1 a 5 estrelas) que passou a ser mundialmente conhecido por facilitar a vida do investidor na hora de escolher um fundo. A metodologia para a classificação é a seguinte:

Repare que para os fundos com 5 estrelas ou 1 estrelas são mais raros, pois eles precisam estar entre os 10% melhores ou 10% piores da indústria. A boa notícia é que esse ranking, que é largamente utilizado nos EUA, passa a ser disponibilizado a partir de amanhã para clientes da XP Investimentos gratuitamente. É uma excelente ferramenta de analise técnica para a escolha de fundos.

Outra opção é o Ranking de Fundos da revista Exame que é publicado todo final de ano. A metodologia foi desenvolvida da FGV e mede o índice de Sharpe dos fundos segundo a fórmula:

Onde R é o retorno médio e DP o desvio padrão. Isso significa que essa metodologia avalia o quanto o fundo agrega de retorno em relação ao benchmark (referencia) por unidade de desvio padrão que mede o tamanho das oscilações (risco) do fundo.

O premio de 5 estrelas só é concedido para os 10% melhores fundos da indústria. Os 15% seguintes recebem 4 estrelas e 3, 2 e 1 estrelas são distribuídas para cada um dos blocos seguintes de 25%. Sendo assim, esse ranking não torna mais raro o conjunto de fundos com as performances extremas (piores e melhores) como o caso da Morningstar, e sim torna mais raras as melhores premiações (5 e 4 estrelas).

Mas atenção, a seleção de fundos por estrelas serve como filtro quantitativo inicial para que o investidor possa diminuir seu universo de estudos. Depois é necessário entender melhor a gestora, seus controles e sua filosofia, pra finalmente escolher o melhor fundo de investimento (vide post “Os 4Ps pra se escolher um bom fundo”).

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É especialista em alocação de recursos de clientes de alta renda e tem 10 anos de experiência no mercado financeiro. blogliviamansur@gmail.com