Como e onde investir depois das eleições

Resumo do evento realizado pela XP Investimentos ontem no Rio.
Blog por Livia Mansur  

Foto: Cláudio Azevedo / CLAP! Fotografia
 

 

Ontem, dia 18/11, a XP Investimentos realizou um evento exclusivo aonde a equipe de economistas e estrategistas (na qual me incluo) discutiram o cenário econômico pós-eleições e apresentaram suas recomendações de investimentos. Os principais temas discutidos foram:

1-      Eleições e mercados

Passada a eleição, o cenário binário previsto pelo mercado não se concretizou (vide post “Para que patamar pode ir o Ibovespa em caso de reeleição”). O que isso significa? Que o mercado precificou errado? Na visão do Patrick, CEO da XP Gestão, essa reação tem 2 explicações. Primeiramente, que muitos gestores já estavam mais “leves” e menos posicionados antes das eleições. Em segundo, que o mercado concedeu o “benefício da dúvida” e ficou aguardando um posicionamento sobre equipe econômica e outras diretrizes do atual governo. Por isso, a recomendação para o investidor nesse momento é cautela.

2-      Juros, cambio e inflação

Na visão de Zeina Latif, economista-chefe da XP Investimentos, o BC subiu os juros recentemente como resposta a uma pressão de mercado. Mas não enxerga uma alta muito maior do que o mercado já está precificando (acima do patamar de 13%), porque a situação econômica delicada do país não permite isso.

Já para o dólar, enxerga-se ainda uma trajetória de alta, mas em movimento mais gradual. Por isso, reforcei a importância da exposição à moeda americana e diversificação internacional de recursos.

E a inflação, ainda segundo Zeina Latif, deve ser nossa “companheira” por um tempo. Por isso, reforcei a importância de investir parte dos recursos visando a proteção contra a inflação.

3-      Investimentos no exterior

Esse, sem dúvida, é o tema mais discutido atualmente em todos os eventos que temos participado. Expliquei que acreditamos que a diversificação internacional é importante independente de cenário (vide post “Vale a pena investir em ativos no exterior”). Mas sem dúvida, o momento atual é mais favorável. Tanto pra investidores agressivos, que conseguem potencializar seu ganho com investimentos mais sofisticados, como para investidores mais conservadores que visam proteção em dólar ou ativos internacionais de baixo risco.

4-      Mercado imobiliário

O mercado imobiliário brasileiro já mostra alguns sinais de enfraquecimento. A vacância médias das lages comerciais em SP que era de 6% em 2010, hoje está em 20%. Aluguéis comerciais estão sendo revisados pra baixo e podemos perceber um movimento de “fly to quality” - migração de imóveis comerciais de menos qualidade para imóveis de mais qualidade que estão sendo entregues. Enxergamos muito mais um ajuste do que necessariamente um estouro de “bolha imobiliária”.

Já o mercado de fundos imobiliário adiantou boa parte desse movimento. Segundo Patrick, esse mercado apresenta algumas oportunidades principalmente em imóveis de alta qualidade com grande desconto de preço.

5-      Bolsa

A pergunta final ficou para o estrategista de ações, Celson Placido, que explicou que, apesar da perspectiva negativa, vê oportunidade em alguns setores específicos como educação.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É especialista em alocação de recursos de clientes de alta renda e tem 10 anos de experiência no mercado financeiro. blogliviamansur@gmail.com